quinta-feira, 25, jul, 2024

Review | Guardians of the Galaxy: The Telltale Series

Pegando carona no sucesso de Guardiões da Galáxia Vol. 2 nos cinemas, a Telltale lançou em 18 de abril deste ano, em parceria pela primeira vez com a Marvel, o seu mais novo jogo da série, Guardians of the Galaxy: The Telltale Series, disponível para Playstation 4, Xbox One e PC.

Depois de The Walking Dead, a DC com The Wolf Among Us e Batman, a Gearbox Software com Tales from the Bordelands, e até mesmo Jurassic Park, eis que a Marvel se junta com o pessoal da Telltale para mais uma obra original, desta vez com o grupo mais carismático e improvável da galáxia.

Esse novo jogo não tem nenhuma ligação com os filmes do cinema, porém conta com uma história muito interessante, diga-se de começo, neste primeiro capítulo já temos uma grande surpresa, começamos já enfrentando aquele que será o grande inimigo nas telonas, nada menos que Thanos, o Titã louco.

 

 

A Tropa Nova contata o Senhor das Estrelas e sua equipe para que eles os ajude em uma missão muito ‘simples’, deter o Titã louco Thanos (Ironia Detectada) em um planeta desconhecido, chegando lá notam que toda a tropa foi dizimada e cabe a eles terminar o que lhes foi confiado, e essa tarefa não será nada fácil.

 

Jogabilidade estagnada

Marca registrada da série Telltale, jogo focado em narrativa, com ações definidas em comandos simples e escolha de respostas para cada ocasião, onde tudo que você decide tem uma consequência mudando o desenrolar da história, essa simplicidade toda já está um pouco ultrapassada, mas ainda está dando certo, com os Guardiões não é diferente, você vai desviar de golpes, objetos e atirar com simples apertar de botões, porém o desafio até aqui é mínimo. Era esperado que em jogos futuros fossem implementados mais recursos para uma experiência um pouco mais desafiadora.

 

 

Gráficos bons

A Telltale tem dado bastante atenção neste quesito, em Guardiões da Galáxia temos uns dos melhores gráficos da série tanto em cenário quanto nos personagens, mas nada muito acima do que já foi mostrado em jogos anteriores como Batman e The Walking Dead The New Frontier, e falando dos personagens, alguns deles estão um pouco diferentes da versão cinematográfica, nota-se que procuraram usar as versões das HQ’s, mas com um toque particular da Telltale, nada que não agrade fãs e jogadores em geral.

 

Trilha sonora do K7

Como já era de se esperar a trilha sonora de Guardiões da Galáxia é excelente e conta com músicas da década de 70 e 80, o toca fitas de Peter Quill é intitulado de Rad Mix e encontraremos músicas como Livin’ Thing, da Eletric Light Orchestra, que toca na tela inicial e durante o jogo, temos também a Why Can´t I Touch It? do The Buzzcocks que é apresentada junto com Peter em sua primeira cena do jogo, entre outras ótimas trilhas. Iremos ouvir uma fita K7 inteira ao longo dos episódios com certeza.

 

Características Intactas de cada personagem

Cada integrante do grupo mantém suas características que vimos nos filmes e quadrinhos, o Senhor das Estrelas sempre tentando manter o grupo unido muitas vezes de forma cômica, Gamora em diversas vezes perde a paciência com Peter, mas no fundo ela gosta dele e provavelmente veremos isso aflorar nos episódios posteriores. Drax, sério e pronto para um bom combate, leva todas as frases de efeito de Peter ao pé da letra por não entender, o que torna a situação engraçada, só não para ele próprio. Rocket sempre certo do que faz e diz, pelo menos ele pensa assim, mas na verdade o que ele quer mesmo é fama e muito dinheiro, acompanhado do seu fiel parceiro Groot com sua infinita frase “Eu sou Groot”, dita em vários tons diferentes, ainda iremos conhecer Yondu Udonta e sua flecha guiada, que apareceu ao final do primeiro capítulo, Nebulosa, a irmã de Gamora que vai ficar muito brava ao saber o que aconteceu com seu pai e Hala, a Acusadora que já teve um breve encontro com o Senhor das Estrelas e pretende mostrar muito mais da sua força nos próximos episódios.

Conclusão:

 

Guadians of the Galaxy: The Telltale Series é mais um ótimo título a se juntar a franquia de sucesso, com uma história muito boa de início e personagens para lá de carismáticos, tem tudo para dar certo, somente por ter pouca ação por parte do jogador que talvez deixe a desejar para alguns, mas fazer escolhas em prol dos parceiros no comando do Senhor das Estrelas vai compensar e com certeza deixar a expectativa alta para os demais episódios.

Nota: 7

Charles Odilon
Charles Odilon
Membro do S.T.A.R.S ao lado de Chris, apaixonado por games desde sempre, extrovertido e amigão da vizinhança, segundo super-soldado conhecido pela humanidade e chamado de Nash, analista de games do Portal GeekSaw.

Artigos Relacionados

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here