Resenha | Hellraiser – Renascido do Inferno

0
180

Sentada sobre uma pilha de cabeças apodrecidas, ela sorriu dando a ele as boas vindas”

Hellraiser-Aplicacao

A editora Darkside trás em uma edição luxuosa, Hellraiser – Renascido do Inferno de Clive Barker. Originalmente escrito em 1986 e em 1987 convertido em filme pelo próprio escritor em um dos raros momentos que o mesmo autor se torna diretor e roteirista de uma conversão da literatura.

Frank Cotton não acredita em limites quando o assunto é prazer e não vê o tempo passar enquanto dedilha cada canto de um cubo, a Configuração deLemarchand, um enigma que desvendado promete levar ele a seres chamados Cenobitas, também conhecidos como Teólogos da ordem de Gash, liberados por um quinto elemento chamado Engenheiro. Uma aparição para uma hora oportuna. Conhecedores da dor e do prazer. Essa busca faz com que Frank deixe seus vícios superficiais enquanto mergulha em outro obscuro mundo. Quando o quebra cabeça enfim se resolve, resta o vislumbre do ser com ganchos que transfixavam as pálpebras dos olhos – unidos por um intricado sistema de correntes que atravessaram a carne. Enquanto sua mente tinha as mais pervertidas cenas em movimento. Consternado Frank não pode se conter, odores, sabores e texturas. Sobre o chão em agonia despeja sua semente. Não existe mais volta.

Na casa vazia da família, Rory e Julia arrumam suas mudanças. Frank nunca mais apareceu depois daquela semana antes do casamento deles. Tudo parece bem até um acidente em que Rory sangra sobre o assoalho de um dos quartos. Um homem fraco. Nesse quarto da casa, Julia sente uma escuridão aconchegante, algo anormal sobrevive ali. Em um momento em que ela se vê em sua solitude algo se revela. Uma visão de terror e desejo. Pele, entranhas, um ser humano ou o que restou dele. Julia reconhece quem a chama. Como esquecer aquele que de forma rude e sem tempo para sedução, ofereceu dor e prazer que ainda permanecia em seus secretos pensamentos, sim era ele, Frank.

Sangue. Não apenas a mente de Julia, mas seu corpo nunca pertenceu a Rory. Naquele quarto se escondia mais que apenas a úmida escuridão. A cada golpe, suas entranhas se renovavam, mas era preciso mais, muito mais para que ele retornasse do mundo qual estava preso. Kirsty, uma amiga do casal observa Julia a pedido de Rory e ao entrar na casa presencia o próprio ser infernal. Algo reverbera pelo ar, Rory desconfia e é convidado por Julia para conhecer a verdade.

Em uma luta aonde faixas tentam encobrir a monstruosidade que retorna. Kirsty ainda sobrevive aos ultimos acontecimentos e acidentalmente se encontra com os Cenobitas. Ela faz um trato, e é necessário voltar aquela casa. Cenas de horror e pura perversidade com visões de um renascido do inferno fazem o cenário com seu chamado incestuoso. No saguão o rastro de sangue. Julia ainda parecia deslumbrante, talvez até mais pelo terror que a cercava. O nome de Rory ainda era escutado pelas paredes, na não era ele quem pronunciava.

A hora oportuna. Os sinos tocaram, um grunhido aterrorizante de Frank junto de uma palavra de maldição arrastaram seu corpo dilacerando sua pele recém enxertada. Kirsty olhou para trás, naquela esquina daquela rua, LudovicoStreet. Não é o fim, as ultimas imagens são quase inomináveis. São deuses da tortura. Alguns enigmas nem o tempo desvendariam. Quais mais seriam aqueles que dariam acesso a jardins do paraíso ou a terra das maravilhas. Já que o inferno e seus habitantes é um local conhecido.

O livro trás inspiração dos gostos peculiares do autor com um desfecho frenético de um enredo bem conciso. Os personagens trazem profundidade, que leva o leitor a uma fácil empatia em um romance envolvendo os delírios mais intensos da mente. O terror é intricado nos capítulos, bem subdivididos com ilustrações perturbadoras, um tom similar ao grotesco-poético do escritor. Um clássico. Leitura obrigatória para os fãs do terror.

Ficha Técnica:

Acabamento: Encadernado

Editora: Darkside Books

Número De Páginas: 160

Idioma: Português

Ano Da Edição: 2015

Preço: R$ 49,90