Resenha - Noturno (Editora Darkside Books)
15.11
2017
Resenha – Noturno (Editora Darkside Books)

“O detetive perscrutou a linha do horizonte, procurando  movimentos. Enquanto o fazia, teve a certeza profunda e fria de que era provável que não visse a morte se aproximando. Precisava deixar a marca, a marca que mantinha o monstro à distância.”

 

A Editora Darkside Books nos trás o suspense policial e fantasia Noturno, de Scott Sigler. A obra que mescla o real e o fantástico, vai nos contar a história do detetive de homicídios Bryan Clauser, que junto de seu parceiro Pookie trabalha no turno da noite e são os melhores detetives da delegacia. Apesar disso, quando um padre excomungado é assassinado de forma brutal durante a madrugada, os dois são afastados do caso e colocados no período diurno. O que os deixa mais curiosos é que funcionários que há décadas não iam à campo estão agora nesse misterioso assassinato e tentando ao máximo esconder elementos que poderiam levar a uma solução desse caso. O mesmo acontece com Robin, que vê seu chefe legista, que não sai do IML há anos, indo atrás do caso que a delegada o designou a fazer a perícia do corpo, e que ele faz questão de esconder os detalhes de sua aprendiz que sempre fora de sua inteira confiança.

Depois de encontrar o corpo do padre e ser afastado do caso, Bryan começa a ter terríveis pesadelos com novos assassinatos, onde ele está no corpo de monstros que caçam as vítimas. Ao mesmo tempo, sem saber de que forma estão interligados, o adolescente Rex partilha dos mesmos sonhos de Bryan, mas ao contrário do detetive, Rex conhece as vítimas e está caçando para se vingar de todos os anos de abuso e bullying que sofreu dos valentões. Ambos acreditam que os pesadelos não passam de sonhos, até começarem a acompanhar pelos jornais que as pessoas com quem sonham são encontradas mortas, do mesmo jeito que eles sonharam que as assassinavam.

Já em outro local da cidade, o mendigo Aggie é sequestrado por misteriosos homens mascarados e colocado em uma sala totalmente branca, onde, juntamente com outras pessoas sequestradas, aguarda o destino que viu outras pessoas sofrerem: ser arrastados à força da sala pelos mascarados e jamais visto novamente.

Apesar de afastados do caso, Pookie e Bryan juntamente com Robin, tentam investigar o máximo possível do que se tornam assassinatos em série. Quanto mais fundo eles cavam, mais confuso parece. Estaria a delegada Amy Zou envolvida de alguma forma? Por que as testemunhas afirmam ver seres monstruosos na cena dos crimes? Que tipo de animal selvagem e enorme poderia dilacerar um corpo e deixar marcas de dentes nos ossos e não ser visto durante o dia na cidade?

A história é dividida em dois livros, sendo o I nomeado Pessoas e o II nomeado Monstros. Cada um é dividido em pequenas partes, como capítulos, mas que tem um título chamativo ao invés de ser contado por números, sendo que essa divisão torna o grande livro uma boa pedida para locais onde você não sabe se terá tempo para ler um capítulo muito longo. Juntamente com a narrativa em terceira pessoa, torna mais fácil dividir as histórias, sem misturá-las ou confundir o leitor. Existem vários personagens na trama, muitos deles com grande importância na história, mas isso não confunde o leitor.

A história intercala entre a investigação dos assassinatos durante o dia e o mistério das execuções deles durante a noite, o que torna a trama eletrizante, sempre ocorrendo algo que te prende na leitura.

Existe linguajar de baixo calão e cenas detalhadas, sem medo de serem viscerais, fazendo o leitor sentir na pele a angústia do momento descrito, não sendo recomendado para todas as idades.

Algumas cenas com a Robin são um pouco exageradas na questão do romance, onde ela sempre se mostra pensando em sua relação com Bryan que não deu certo e como ela ainda se importa com ele, o que às vezes interfere na aura de suspense e mistério que paira sobre o livro, tirando o foco do profissionalismo da investigação para algo que parece segundo plano em determinadas situações.

O Livro II: Monstros é focado no lado místico da história, e é também onde as respostas começam a surgir aos poucos, apesar de conforme a história caminha para essa segunda parte, é possível começar a tirar suas próprias conclusões, sem estragar o surpreendente final.

O que de início se mostra um suspense policial logo se transforma com o fantástico e o sobrenatural entrando na jogada, ideal para quem gosta de sair da rotina com uma história de prender o fôlego.

Título: Noturno

Editora: Darkside Books

Idioma: Português

Autor: Scott Sigler

Páginas: 499

Primeiro Batman antes de Bruce Wayne. Extrovertido e sem graça. Uma mistura de piadas ruins e clichês, e um senso de humor gigante para rir delas. Editor chefe do GeekSaw. Apaixonado pela "Bigscreen" e por tudo que é novidade.

GeekSaw • www.geeksaw.com.br
Tema por Gabriela Gomes