Crítica - IT: Capítulo 2
03.09
2019
Crítica – IT: Capítulo 2

Depois do sucesso estrondoso de sua primeira parte com o macabro palhaço Pennywise,  a segunda parte de IT chega aos cinemas em 05 de Setembro, trazendo de volta o Clube dos Perdedores em sua forma adulta enfrentando a entidade milenar que assombra a pacata Derry.

Confira a sinopse:

27 anos depois dos eventos de “It – A Coisa”, Mike (Isaiah Mustafa) percebe que o palhaço Pennywise (Bill Skarsgard) está de volta à cidade de Derry. Ele convoca os antigos amigos do Clube dos Otários para honrar a promessa de infância e acabar com o inimigo de uma vez por todas. Mas quando Bill (James McAvoy), Beverly (Jessica Chastain), Ritchie (Bill Hader), Ben (Jack Ryan) e Eddie (James Ransone) retornam às suas origens, eles precisam confrontar os traumas nunca resolvidos de suas infâncias, e que repercutem até hoje na vida adulta.

 

Sequências de filmes de terror tendem a serem maiores que sua primeira parcela e na maioria das vezes elas falham em transportar o espectador para a mesma aura assustadora e costumam ser menos impactante em sua maioria. Esse felizmente não é o caso de IT: Capítulo 2 que com o retorno de Pennywise traz todo o pavor de volta em sua melhor forma, proporcionando cenas arrepiantes e preparando o espectador para grandes jumpscare ao longe do filme. Bill Skarsgard está de volta ao papel do palhaço Pennywise e sua atuação continua impecável. Ele consegue levar ao personagem uma mistura de fome insaciável e prazer em aterrorizar, trazendo toda a significância da criatura do livro pra vida real. Pennywise sente um prazer maior em brincar com sua presa para depois devora-la, deixando ainda mais apetitosa. A loucura e a perversidade estampada no rosto e as peripécias de um palhaço incomum é uma mistura que dá muito certo e que poderia render muito mais filmes.

Os primeiros minutos do filme mostram o quão sério é a ameaça da “Coisa” que aterroriza Derry, mesmo trazendo essa figura maligna mostra que ele não é o maior problema, e sim nas ações humanas que destrói qualquer conceito de união. O palhaço Pennywise só eleva todo o drama que o ser humano vive ao fazer suas escolhas diferentes do usual e o quanto que a sociedade consegue te discriminar por esse fato e a mensagem que fica é que as pessoas que você escolhe para conviver são a chave para uma vida melhor

Em IT: Capítulo 2 voltamos 27 anos depois à Derry que está sofrendo com uma onda de desaparecimentos de crianças e mortes inexplicáveis. Mike Hanlon (Isaiah Mustafa) então tem a tarefa de reunir o Clube dos Perdedores para cumprir a promessa do primeiro filme que era de derrotar a entidade caso ela voltasse. E somos apresentados ao Clube dos Perdedores mais velho e definitivamente não poderia funcionar de melhor maneira do que foi escolhido. James McAvoy, Bill Hader, James Ransone, Jay Ryan, Andy Bean e Jessica Chastain entram no papel de forma positiva e conseguem trazer a alma das crianças do primeiro filme. Na liderança temos James McAvoy e Jessica Castain fazendo um tremendo trabalho de atuação e todo o elenco funciona ainda melhor quando estão juntos interagindo. Bill Hedar se destaca por trazer um personagem mais carismático assim como James Ransone que forma uma dupla bastante divertida que dá o tom para todo o filme.

A direção de Andy Muschietti é mais arrojada e traz mais elementos gráficos que o primeiro filme, transformando a ameaça do Pennywise numa escala ainda maior, mas ainda traz um pouco daquele terror único utilizado em lugares com pouco espaço de locomoção e deixando o espectador na agonia e transtorno que os próprios personagens sofrem.

O filme na questão da montagem e de um roteiro extenso, que tenta reforçar os medos de cada personagem de maneira cansativa e as 2h51 minutos de filmes são sentidas no decorrer do filme. Ele é dosado para que haja momentos engraçados e momentos tenebrosos e falha nessa parte, pois é muito extensa a transição de cada história a ser contada e talvez funcionasse melhor se fosse lançada uma versão reduzida.

A primeira parcela de IT definitivamente é mais aterrorizante que a segunda, mas a qualidade cinematográfica da segunda coloca um fim digno na história que condiz com todo o universo que Stephen King construiu e traz de volta o terror fantasioso que acompanhamos nos anos 80 e 90 de volta aos holofotes. O filme conta toda a origem de Pennywise de forma enigmática, mas certamente podemos conectar com outros filmes do universo de A Torre Negra.

 

Conclusão

IT: Capítulo 2 é uma continuação grandiosa e digna da história criada por Stephen King. Não é tão aterrorizante quanto o primeiro, mas que não diminui a qualidade de sua continuação. É uma releitura interessante sobre o livro e aponta o dedo para a rejeição da sociedade sobre todas as pessoas. Pennywise é uma ameaça muito maior nessa continuação e está de volta à caça da melhor maneira possível.

Nota: 3.0 / 5

 

IT: Capítulo 2 chega aos cinemas em 05 de Setembro.

Primeiro Batman antes de Bruce Wayne. Extrovertido e sem graça. Uma mistura de piadas ruins e clichês, e um senso de humor gigante para rir delas. Editor chefe do GeekSaw. Apaixonado pela “Bigscreen” e por tudo que é novidade.


GeekSaw • www.geeksaw.com.br
Tema por Gabriela Gomes