Análise Monster Hunter World Iceborne
08.10
2019
Análise Monster Hunter World Iceborne

 Monster Hunter World é sem dúvidas a franquia mais vendida da Capcom, milhões já adquiriram uma cópia do jogo que já possuí várias atualizações melhorando ou incluindo itens a enorme campanha, mas nada se compara a DLC Iceborne, que poderia até ser considera como Monster Hunter World 2, pelo vasto conteúdo que é proporcional ao jogo base.

Mas o que de tão especial trata-se essa atualização? É o que saberemos a seguir!

 

Uma das novas criaturas encontradas em Iceborne.

 

Em resumo começamos com a continuidade da história finalizada em MHW, após os eventos com o Dragão Ancião Zorah Magdaros.

Um bando de Legianas começa uma migração misteriosa e cabe a equipe de investigação descobrir para onde vão, seguindo os rastros somos apresentados a um novo continente coberto por gelo e neve e é neste novo cenário onde a maior parte da trama de Iceborne se desenrola.

 

Prepare-se para andar com neve das canelas até a linha da cintura, pelo menos temos roupas quentes!

 

A nova localização se chama “Seliana”, e é o novo lar para muitos caçadores do novo mundo, todas as localidades que se podia visitar em Astera também estão presente em Seliana e até alguns personagens que lá viviam, resolveram viver neste novo local afim de descobrir seus mistérios.

O novo mapa onde as caçadas acontecem foi nomeado de “Fronteira Glacial” e vai render muitas horas de exploração, possui um visual fantástico e belo, a neve em si já é uma coisa fascinante e vai agradar aos olhos de quem vê, e além disso uma nova fauna e flora está aí para se investigar e catalogar.

 

Uma simpática família de pinguins, moradores da Fronteira Glacial.

 

Para se ter uma noção do quão grande é a expansão de Iceborne, é que a própria DLC possui troféu de platina, normalmente conteúdos adicionais acrescentam alguns troféus ao jogo, mas a Capcom achou que Iceborne merecia mais que isso!

 

Caçadores de platina adorarão conquistar todos os 50 troféus disponíveis em Iceborne.

 

Sobre aspectos de mecânica de jogo, MHW: Iceborne não sofreu alterações, somente adições, mais especificamente nas 14 armas utilizadas, todas elas ganharam novos comandos que podem ser aprendidos na “Área de Treino”.

Um novo equipamento foi apresentado para os caçadores, trata-se da “Prendedora”, ela serve para se agarrar a diversas partes do corpo dos monstros e causar dano para “amolecer o seu couro”, ou mesmo transformar toda a munição da sua “atiradeira” em um único disparo.

 

 

Ao usar a Prendedora você pode se prender a cabeça, tronco ou cauda dos monstros, preso a eles você causará danos com a sua arma empunhada, de acordo com o local escolhido terá uma vantagem na hora de quebrar chifres ou mesmo cortas as caudas.

Agora caso queira causar um pouco mais de dano, pode-se gastar todo o estoque de munição num único disparo da atiradeira, nesse momento, o monstro perde o controle e anda descontrolado na direção imposta pelo caçador, e se houver uma parede ou penhasco na direção o monstro bate/cai e fica nocauteado por alguns segundos abrindo brecha para ataques mais poderosos. Lembrando que é altamente recomendado usar a Prendedora nos momentos que o monstro cambaleia, tentar se agarrar quando ele estiver atacando ou mesmo enfurecido pode resultar em uma perda de HP importante e desnecessária.

 

Ao se agarrar você escolhe se bate ou nocauteia o monstro.

 

Outra implementação legal foi a de poder cavalgar “monstros atacauda”, que são as versões menores de alguns chefes do jogo como por exemplo os pequenos Jagras. Você pode selecionar a opção “Cavalgada” na barra de itens durante uma missão para chamar o seu monstro e basta apertar o botão O no PS4 ou B no Xbox One para monta-lo. Isso permite que você chegue no seu destino (seja ele um monstro ou algum item que esteja procurando no mapa) mais rápido sem gastar a barra de vigor e ainda por cima pode coletar itens durante o trajeto ou usa-los sem se preocupar com o caminho, pois o monstro atacauda vai diretamente para o local definido ou se não houver seguira as pistas mais próximas para a localização do monstro alvo, lembrando que o monstro atacauda não pode ser controlado diretamente.

 

Deixe que seu monstro atacauda te leve ao destino sem se preocupar em ficar olhando o mapa.

 

Em Iceborne alguns monstros já conhecidos dos caçadores retornaram e também são apresentados alguns novos, dentre os retornando temos o Tigrex, uma mistura de tigre com Tiranossauro, o Barioth que lembra um tigre dentes de sabre só que com asas e o Nargacuga, uma grande pantera também com asas, estes três são basicamente da mesma categoria, “serpes aladas” e já marcaram presença em outros títulos da série. Citando alguns dos novos temos o Glavenus, uma “serpe bruta” que usa sua enorme cauda como uma espada e o Brachydios, da mesma categoria do Glavenus, só que com braços fortes cobertos de lodo que causam explosões a cada golpe. Muitos outros monstros foram adicionados ao jogo mas cabe a cada caçador desbravar este novo território congelado e descobri-los por si só!!

 

Acima um Barioth encara um Anjanath Fulgurante.

 

A esquerda um Rathalos que não gostou nada da visita deste Nargacuga que não foi convidado.

 

Não podemos deixar de citar que todos os monstros já existentes no jogo ganharam uma segunda versão, ou melhor, foi descoberto subespécies de cada um, cada qual com novos ataques e elementos diferentes da espécie principal, um bom exemplo fica por conta do Anjanath que em sua versão “World” possui ataques de fogo e uma resistência contra esse elemento, já sua versão “Iceborne”, o Anjanath Fulgurante possui ataques de raio e defesa contra o mesmo sendo um pouco vulnerável a fogo, embora ambas as espécies sofram do mesmo ponto fraco, água e gelo, já o “Tobi-Kadachi” que é uma serpe de presas elétrica, em sua subespécie possui ataques de veneno e paralisia, sendo chamado de “Tobi-Kadachi Vípero”. Apenas o “Rathalos” e a “Rathian” possuem 3 versões, as originais, as subespécies “Rathalos Lazúli” e “Rathian Rosa”, e as mais fortes “Rathalos Prateado” e “Rathian Dourada”.

 

O Tobi-Kadachi Vípero lança penas venenosas e pode paralisar a vitima com suas garras.

 

A trilha sonora continua harmoniosa e combina com cada ocasião, durante a estadia em Seliana uma música mais suave e tranquila nos acompanha em todos os lugares, já durante as missões ritmos mais rápidos e orquestrados tomam conta, alguns monstros inclusive, possuem sua própria trilha deixando sua marca registrada e fazendo-nos lembrar que um bom combate sempre vem acompanhado de uma música empolgante.

 

A trilha sonora do Velkhana condiz bem com a dura batalha que ele proporciona.

 

Monster Hunter World Iceborne é um DLC que pode ser considerado um jogo completo, consegue enriquecer muito mais a história com uma continuação que vai prender a atenção de todos que já a acompanham, como se já não fosse pouco 14 tipos de armas, todas ainda ganharam novos comandos fáceis de aprender e decorar, muitos monstros novos agora fazem parte deste novo mundo e outros mais voltaram a dar as caras para a felicidade geral dos caçadores, além disso alguns implementos foram adicionados para melhorar os combates e facilitar a locomoção deixando tudo muito mais dinâmico juntamente com uma trilha sonora que já vem fazendo bonito desde o começo.

É sem dúvidas um complemento “obrigatório” para todos que possuem o jogo!

Monster Hunter World Iceborne está disponível nas plataformas digitais do Playstation 4 e do Xbox One, ou pode ser adquirido em mídia física na versão completa com o jogo base.

 

Nota 5/5

Membro do S.T.A.R.S ao lado de Chris, apaixonado por games desde sempre, extrovertido e amigão da vizinhança, segundo super-soldado conhecido pela humanidade e chamado de Nash, analista de games do Portal GeekSaw.


GeekSaw • www.geeksaw.com.br
Tema por Gabriela Gomes