Ghost Recon Breakpoint - Review
08.10
2019
Ghost Recon Breakpoint – Review

Ghost Recon Breakpoint chegou fazendo barulho, sempre que é lançado um novo jogo da franquia ele causa muitos barulhos, as vezes positivo e outras vezes negativo. O que esperar deste novo jogo da Franquia? A série com a assinatura de Tom Clancy’s historiador norte americano, ganha mais um game lançado pela Ubisoft

 

Onde estamos?

Antes de entrarmos nas questões de gameplay, gráficos entre outras questões, precisamos colocar onde o jogo se passa. Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint é a sequência do último jogo Wildlands. Os Ghosts estão em uma nova missão chamada de “Oracle”, que terá como principal vilão o tenente coronel Cole D. Walker, interpretado por ninguém mais ninguém menos que Jon Bernthal, o famoso Shane de The Walking Dead, o amado e odiado Justiceiro da Netflix. Temos um traidor entre nós? Suas ações dentro do jogo são corretas? Isso você terá que desbravar o game e decidir por si só, podemos dizer que o nosso vilão tem atitudes no mínimo questionável.

Uma questão a ser trabalhada neste ponto é a motivação do vilão. O mesmo abandona os Ghosts e forma seu próprio grupo os Wolves, que fica na ilha de Auroa. Tudo isso porque ele não gosta como o atual governo e como eles lidam com os problemas atuais, ele não engole o fato de que para o sistema as pessoas não tem valor algum, muito menos os soldados, então, com essa visão, o governo sacrifica facilmente as pessoas e tudo que ele mesmo prega para alcançar seus próprios objetivos.

Gameplay cooperativo de qualidade.

A proposta de Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint não sofre muitas alterações, destaco aqui a grande arvore de habilidades a qual traz uma grande customização para o jogador. O jogo lhe apresenta 4 classes. Assault, Sharpshooter, Panther, Field Medic. Independente da classe e da customização do Personagem, você estará no papel do Ghost Nomad.

Assault: É basicamente a classe de tank, a que vai na frente tomando a iniciativa das investidas.

Sharpshooter: Gosta de atacar de longe? Então é aqui que você deve focar.

Panther: Tem aqueles que preferem ir no modo stealth, então esta classe é a sua escolha.

Field Magic: O famoso suporte do time.

Importante ressaltar que eu testei e dá para mesclar classes, porém você terá um problema com a gestão de pontos. No começo eu oriento a focar em uma única classe, a qual que mais combina com o seu modo de jogar.

Os combates neste jogo te trazem uma sensação satisfatória muito grande. A movimentação do personagem, o cover, a troca de armas, atirar, tudo no jogo no que se refere a jogabilidade me agradou. Porém uma coisa a qual eu raparei nas minhas horas de gameplay é que a quantidade de ataques aéreos que você recebe é bem alta, com o tempo ficou meio repetitivo destruir drones, helicópteros, etc é bacana, mas de forma excessiva senti um cansaço de ficar atirando para o alto. Já o combate em terra, é mega desafiador, mesmo sendo ele em veículos terrestres ou não, sempre que você localiza uma base, ou qualquer terreno na ilha na qual tenha um grupo de soldados, você não pode simplesmente se jogar lá dentro e sair atirando, acredite, o modo rambo aqui quase nunca funciona. Além de ter muitos inimigos e com isso você vai acabar ficando exposto e recebendo balas de todos os lados, você vai topar inimigos ou com um level mais alto que o seu, ou com equipamentos que tem um dps muito alto, então pense bem como e quando entrar nos lugares, para não ter mortes imaturas durante o jogo.

E é por isso que bato na tecla, de que Ghost Recon Breakpoint, tem um ganho na sua experiência quando jogado em cooperativo, dividir e elaborar estratégias com seus amigos é muito mais satisfatório no jogo do que tentando jogar o game sozinho. Além do personagem e classe, você tem todo um leque de opções para melhorar seus equipamentos, skins do personagem, roupas, acessórios e até mesmo tatuagens.

A ilha onde acontece o jogo é muito bem construída e de fato te faz se sentir em uma área isolada, o level design está bem construído e aquele cenário todo colabora muito para o gameplay do jogo, você vai usufruir bem do cenário, para usar como camuflagem, cover, entre outras formas de se envolver com o ambiente e tentar tirar alguma vantagem dos vilões. Importante ressaltar que a Ubisoft, pretende desenvolver muitos outros conteúdos para o jogo com o passar do tempo, o que irá aumentar ainda mais a sua experiência dentro do game.

 

Mas nem tudo são flores.

Antes de falarmos sobre alguns problemas do jogo, preciso pontuar que eu joguei este game no Xbox One S, então eu não sei se com as versões “PRO” dos consoles e os PCs Hi-tech, estão passando pelos mesmos problemas.

Como tivemos acesso ao jogo antes do seu dia oficial de lançamento, me deparei com alguns problemas. A parte gráfica do jogo parece estar mal polida, falta de textura e detalhamento de alguns itens deixou o jogo com um aspecto de mal finalizado, presenciei cenas como: cabelo dos personagens desaparecendo, piloto em voo para fora do helicóptero, personagem ficou travado em obstáculos que não existiam, entre outros. Eu acredito que a Ubisoft irá melhorar essas questões em um Patch de atualização.

Tem um problema que me atrapalhou demais, quando estava no helicóptero e puxava uma arma de longo alcance, a imagem através da mira não carregava e ficava muito pixelada, isso me gerou um incomodo, porque neste caso estava de fato prejudicando a minha experiência ingame. Mas preciso ser sincero, mesmo eu não me apegando tanto a parte gráfica, ela chegou a incomodar algumas vezes, para players que prezam muito por um acabamento gráfico, com certeza irá gerar muitas reclamações. Ubisoft, vamos corrigir isso o mais rápido possível, por favor hein!

Multiplayer

Ghost Recon Breakpoint, traz um modo multiplayer bem polêmico. Antes de entrar neste quesito, vamos falar sobre o que temos no momento. O Ghost War disponibiliza confrontos de 4 vs 4 jogadores, temos dois modos de jogo o Eliminação e o Sabotagem. Os dois modos são ligados com o modo cooperativo (PvE). Agora o grande problema, a maioria dos itens estão liberados para compra com dinheiro fora do jogo, ou seja, você independentemente do seu level, consegue comprar qualquer equipamento, o que automaticamente dará vantagem para quem investir mais dinheiro no jogo.

Conclusão.

Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint, apresenta uma gameplay mais refinada, quando comparada com o seu antecessor, dá para sentir que o jogo tem um potencial a ser explorado, ele é muito divertido para jogar com os amigos, porém, os problemas gráficos são muitos e por serem reincidentes não tem como fazer vista grossa, porque de fato eles impactaram na minha experiência com o jogo. Acredito que melhorando os problemas gráficos do jogo, e mudando essa política de vendas de produtos dentro do jogo para deixar de ser pay to win, teremos um grande jogo que irá tomar horas de quem gosta de um TPS.

 

Nota: 3,5/5

Aqui eu compartilho a minha visão do mundo nerd e tudo que nele habita.
Lembrando que muitos dizem, que já sou velho para essas coisas, mas acho que nada disso tem idade e nem morre com o tempo, assim como os dinossauros!

GeekSaw • www.geeksaw.com.br
Tema por Gabriela Gomes