sexta-feira, 12, jul, 2024

Análise Mortal Shell (Playstation 4)

 Mais um jogo no estilo medieval dentre tantos que já temos tenta ganhar seu espaço e nos apresenta uma mecânica um pouco diferente do convencional, seguindo a tendência dos “Souls Like” Mortal Shell chega como um jogo Indie e apesar de ter muitas semelhanças com a franquia Souls tem sua identidade e mostra que não é uma mera cópia. 

Da esquerda para direita, Harros, Solomon, Eredrím e Tiel.

 Bem, como um jogo da família Souls Like tem que ser, Mortal Shell já inicia sua campanha sem dar nenhuma explicação, você não entendera nada da história a princípio e é bem provável que a medida que o jogo for se desenrolando você continue com este sentimento porque realmente não há uma preocupação em conta-la, claro que você encontrara NPC’s que poderão dizer alguma coisa, e também encontrara diversos locais com “gravuras” e “inscrições” nas paredes, muitas vezes com dizeres meio difíceis de entender, palavras escritas como se fossem enigmas ou metáforas de acontecimentos passados, essa parte de tentar entender o que se passa na história pode ser atrativa para alguns e bem entediante para outros.

Você inicia o jogo praticamente pelado, e a primeira arma que encontra é a Espada Sagrada.

 O pequeno tutorial no início nos mostra os comandos básicos e já apresenta o que torna Mortal Shell diferente dos demais Souls Like, a opção de se “petrificar”. Ao fazer isso o corpo torna-se praticamente uma estátua e você pode se defender brevemente de um ataque inimigo, você pode usar está ação para se defender e se esquivar ou pode atacar, e antes mesmo que o ataque acerte o alvo se petrificar e esperar o mesmo te atacar, fazendo isso ao ter a proteção quebrada seu ataque finalizara no inimigo que estará com a guarda aberta, está habilidade será fundamental durante toda a campanha, e aqui mesmo durante o tutorial, após pegar a “Espada Sagrada” (uma das quatro armas existentes no jogo) você será testado por “Hadern”, o primeiro chefe do jogo, faça todos os comandos que aprendeu e teste sua habilidade com a petrificação, neste primeiro momento não importa se você perder, não há Game Over, mas caso vença será recompensado com um troféu (caso esteja jogando no PS4) ou uma conquista (no caso do Xbox One).

Hardern sempre te testará quando estiver pegando uma nova arma, não será um problema usando a Espada Sagrada em nível 5.

 Nosso protagonista é uma espécie de alma ou entidade que não pôde descansar e vaga por uma terra devastada e abandonada, que cheira a morte com inimigos e seres desprezíveis em cada canto, para nossa sorte há em meio a toda essa podridão as “carcaças” (as armaduras do jogo) de guerreiros a muito tempo derrotados que podem ser habitadas lhe concedendo todo o seu conhecimento e habilidades, e é com o uso destas carcaças que avançaremos por locais como pântanos, uma cripta congelada, uma fortaleza de fogo e uma catedral feita de rocha obsidiana. Mas para tal, você deverá desbloquear as habilidades ocultas das carcaças desconhecidas, para isso precisará de “Tar”, pontos adquiridos dos inimigos mortos. Assim como acontece na série Souls, se você juntar qualquer quantidade de Tar e morrer, estes ficam no local da morte aguardando que você os recupere, mas caso morra novamente antes disso estes serão perdidos para sempre o obrigando a juntar uma nova quantidade.

 Para não dizer que este aspecto é totalmente igual a “Demons Souls” e companhia, Mortal Shell introduziu mais um tipo de ponto que é exigido na hora de desbloquear as habilidades de cada carcaça, são os “Vislumbres”, também são adquiridos através dos inimigos porém são mais difíceis de conseguir do que o Tar e vem em quantidade muito baixa, tem inimigos que soltam 1 ou 2 por morte, isso quando você tem a sorte de conseguir, mas como todo bom RPG de ação existem diversos itens que ajudam a se conseguir mais Tar e Vislumbres no decorrer do jogo, e ao contrário do Tar que é perdido ao morrer tendo que ser recuperado, os Vislumbres permanecem no inventário não sofrendo esta penalidade.

Está bola vermelha flutuando no buraco é o seu Tar, neste caso como recupera-lo se está flutuando em cima do buraco?

 Como citados acima, Mortal Shell possui 4 locais a serem explorados, o primeiro deles é onde é iniciado o jogo, uma espécie de planície/floresta com vários pântanos e muitos inimigos escondidos pelos cantos, explorando bem o local é possível encontrar uma espécie de santuário destruído, no seu interior há uma mulher parada, ela é a “Irmã Genessa”, é com ela que você vai falar toda vez que achar uma carcaça e quiser desbloquear suas habilidades, felizmente você só gastara pontos com este intuito, uma vez que Mortal Shell não possui níveis de experiência no personagem, as únicas coisas a evoluir serão as armas e habilidades das carcaças.

Após desbloquear todas as habilidades da carcaça equipada, a Irmã Genessa lhe venderá ótimos itens ao custo de Vislumbres.

 Neste mesmo local há uma criatura gigante, um prisioneiro acorrentado no pé de uma escada, você vê algo no topo da escada que prende uma parte das correntes, ao remover este item você recebe o “Selo Manchado”, este item servirá como um mecanismo para refletir os ataques dos inimigos os contra-atacando causando um belo dano e recuperando uma parte do HP, está habilidade é muito útil uma vez que não existem escudos, para se poder refletir os ataques é necessário se gastar uma barra de “Determinação”, cada carcaça pode estocar uma quantidade diferente de Determinação. Além disso, o prisioneiro lhe fala que existem locais conhecidos como “Os Templos dos Devotos”, onde no seu interior encontram-se as “Glândulas Sagradas”, ele diz que em posse destes itens ele pode usar parte do “Nektar Verdadeiro” que elas contem para se curar, e também diz ao nosso personagem que ele pode usa-las para se libertar desta terra amaldiçoada, antes de acabar nas mesmas condições.

A cada Glândula trazida para o prisioneiro ele lhe dará uma nova habilidade para o seu Selo Manchado.

 De posse dessa informação somos levados a 3 locais distintos onde encontraremos essas glândulas e também outras armas para nosso auxílio.

 Não a uma ordem especifica para ir em cada local então fica a critério de cada jogador ir e vir da forma que melhor lhe convém. Vou lista-las na ordem que conclui cada uma.

– Fortaleza de fogo; aqui se encontra a “Glândula Inflamada”, “um caroço musculoso e inchado, irradiando calor”. Após entregar para o prisioneiro ele infundirá um pouco do Nektar Verdadeiro no seu Selo Manchado, a partir daí, após refletir os ataques inimigos o Selo terá outras funções além de curar, neste caso, após defletir com sucesso um ataque inimigo nosso personagem colocará uma larva carregada nele que explodira, acertando quaisquer outros inimigos próximos.

 Neste lugar também é encontrada a “Maça Fumegante”, “um enorme porrete de fogo com cinzas saindo de sua extremidade” , além dessa arma é possível encontrar duas melhorias que após equipadas usando a “bancada” lá no Santuário Destruído, acrescentam 2 golpes especiais para a Maça, ao custo de duas barras de Determinação.

Esse porrete possui um ataque especial de fogo que atinge uma área ampla.

– Criptas de Gelo; neste lugar nevado você encontra a “Glândula Cristalina”, “dura como pedra, está glândula derrete lentamente”. Entregando para o prisioneiro ele novamente infundirá seu Selo Manchado, e quando defletir com sucesso algum ataque copias de si mesmo atacam os inimigos saindo de dentro da carcaça, um contra-golpe bem poderoso.

 A terceira arma encontrada é a “Lâmina do Mártir”, “uma espada de duas mãos, dolorosamente fria ao toque”. Encontre seus dois equipamentos e tenha o poder do gelo ao seu dispor.

Esta longa espada de duas mãos é a arma mais lenta das 4, mas não se engane, ela possui golpes poderosos e atordoantes.

– Catedral Obsidiana; neste labirinto gigantesco (o maior mapa do game) você pode coletar a “Glândula Entrelaçada”, “uma massa cancerosa de tecidos retorcidos”. Entregando este item ao prisioneiro ele infundirá seu Selo Manchado, e quando defletir algum ataque você poderá controlar o tempo a sua vontade, deixando tudo mais lento.

 Neste cenário é encontrado o “Martelo e Cinzel”, “a única ferramenta adequada para escrever sobre a eternidade”, esta provavelmente deva ser a arma mais peculiar das quatro, seu especial arremessa vários pontaletes em todas as direções.

O martelo e cinzel é a mais rápida das armas, se usado em conjunto com uma carcaça com um alto vigor fica quase imparável.

 Cada um destes locais deve ser explorado com muito cuidado, pois alguns itens são de difícil acesso ou estão escondidos pelo cenário, caso queria ter todas as armas e todas suas melhorias gaste um tempo neste tópico, vai valer a pena.

 Tão importante quanto as armas são as Carcaças, 4 no total cada uma com níveis de força e resistência diferentes, são elas;

– Harros, o Vassalo; a primeira carcaça encontrada logo após pegar a Espada Sagrada, possui durabilidade, vigor e determinação no mesmo nível, é muito útil no começo, mas após pegar as outras se torna obsoleta.

– Tiel, o Acólito; está carcaça não é uma armadura e sim uma vestimenta feita apenas de panos, o que torna a movimentação do personagem muito rápida, possui pouca durabilidade mas compensa em vigor, que é máximo, tornando está carcaça a melhor para bater e correr com uma esquiva quase perfeita.

– Solomon, o Erudito; está é a carcaça mais equilibrada, possui os 3 atributos em boas proporções e pode ser usada até o fim do jogo facilmente.

– Eredrím, o Venerável; talvez para muitos, a melhor carcaça do jogo, talvez tenha pertencido a um rei, levando em consideração a coroa no elmo, possui durabilidade máxima, com uma barra de HP enorme, porém com pouco vigor e apenas duas barras de Determinação, você dificilmente será abatido usando está poderosa carcaça.

O momento que encontramos Eredrím.
Após encontrar todas as carcaças elas ficam guardadas e seguras dentro do Santuário destruído, aos cuidados da Irmã Genessa. Podendo ser habitadas a qualquer momento.

 Falando sobre a dificuldade do jogo, não temos uma exceção à regra, Mortal Shell segue bem a cartilha e apresenta inimigos em sua maioria difíceis de lidar quando enfrentados em duplas ou mesmo grupos, sozinhos podem ser eliminados facilmente mas sua barra de vida não vai durar caso encarre ataques simultâneos, mesmo usando Eredrím, esse aspecto é marca registrada de qualquer Souls Like onde o melhor ataque é a estratégia.

Muitas vezes os inimigos vão estar reunidos em acampamentos, uma boa ideia é atrair um por um para uma finalização mais rápida e sem dores de cabeça.

 Os gráficos não são o ponto alto do jogo, os cenários são simples e em alguns casos possuem uma falta de polimento visível, até parecendo um jogo de PS3 (não desmerecendo o console que possui alguns jogos com gráficos fantásticos), a trilha sonora também não apresenta nada sensacional, isto porque em muitos momentos ela é deixada de lado, dando espaço somente ao som ambiente, e isso funciona, se você estiver concentrado conseguirá ouvir um inimigo vindo correndo ofegante em sua direção saindo de algum canto que antes não tinha sido observado, já contra chefes ela está presente e simboliza a ameaça que está diante do jogador. Sempre digo que um bom jogo é acompanhado de uma boa trilha sonora mas aqui em Mortal Shell, a falta dela é um ponto positivo.

Os detalhes da carcaça e da espada estão bons, mas a espada atravessando o ombro é só um dos detalhes perceptíveis.

 De um modo geral podemos dizer que Mortal Shell cumpre seu papel como um Souls Like, ele tem a dificuldade para mostrar isso, a falta de abundância para itens de cura, o obrigando a utilizar o sistema de deflexão de ataques para se curar constantemente, inimigos que em duplas já são ameaças em potencial, já na parte de equipamento ele é mais simplório nos entregando apenas 4 tipos de carcaças e 4 tipos de armas, os cenários não são tão grandes, apenas o mapa da Catedral tem um tamanho considerável, e mesmo assim, após serem conhecidos e memorizados ficam com um fácil acesso possibilitando um fator replay mais rápido, a nova mecânica de petrificação é bem vinda e pode ser melhor utilizada/aprimorada em uma futura continuação caso seja possível. Amantes do estilo Souls Like podem jogar e acrescentar mais este título a coleção.

Mortal Shell está disponível para Playstation 4, Xbox One e PC.            

Charles Odilon
Charles Odilon
Membro do S.T.A.R.S ao lado de Chris, apaixonado por games desde sempre, extrovertido e amigão da vizinhança, segundo super-soldado conhecido pela humanidade e chamado de Nash, analista de games do Portal GeekSaw.

Artigos Relacionados

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here