quinta-feira, 25, jul, 2024

Cris Tales – As primeiras impressões de um dos JRPGs mais lindos

Cris Tales é uma fantástica e independente carta de amor aos clássicos de JRPGs com uma nova perspectiva, desenvolvido por Dreams UncorporatedSYCK, e distribuído pela Modus Games. Com gráficos impressionantemente lindos, boa dublagem e uma mecânica de jogo que não é inovadora, mas foi muito bem explorada, Cris Tales tem grandes chances de se tornar um clássico.

O jogador estará no controle de Crisbell, uma doce menina que mora num orfanato da cidade de Crysallis. Tudo se inicia quando um sapinho de cartola, Matias, pega uma das rosas que a menina colheu com tanto carinho e sai vazado. Crisbell vai atrás do ladrãozinho asqueroso até a catedral da cidade, onde ela desperta poderes ocultos sendo uma Maga do Tempo. Esses poderes permitem que Crisbell veja, não só o presente, mas o passado e o futuro também. Então, Matias a leva até um velho amigo chamado Willhelm, um poderoso Mago do Tempo. Willhelm conta a ela que, embora sejam ambos Magos do Tempo, seus poderes são diferentes e que o futuro que ela vê é, na verdade, apenas uma possibilidade. Ou seja: esse futuro se concretizará apenas se determinadas ações forem tomadas, da mesma forma que ele pode mudar com ações diferentes. Já sabe onde isso vai dar, né? Com seu novo poder, Crisbell deverá visitar o passado, eventualmente o futuro também, e agir no presente para salvar sua cidade (e talvez o mundo?) de um futuro catastrófico.

Logo após despertar seus poderes temporais, a tela do jogo ficará dividida em três partes num formato triangular (assim como a vidraçaria da catedral). Desse modo, na parte da esquerda o jogador poderá ver o passado daquilo que está na tela, no centro o presente e na direita o futuro, com as três visões se mesclando conforme Crisbell se move. Para ficar mais claro, imagine que no presente há uma senhorinha sentada no banco da praça. Se você andar para a direita, você verá essa senhorinha quando era jovem, e se andar para a esquerda… :'(

Tratando-se de um JRPG, pode esperar que o jogo proporcionará diversos puzzles como “vá lá, volte aqui, fale com fulano, resolva isso.” E muitos deles farão uso dessas “viagens nos tempo,” algo que eu, particularmente falando, adoro. 🙂

Mas afinal, o que fez a demo de Cris Tales impressionar tanto? Porque até agora, é só uma história de poderes temporais. Mas acalme-se, vamos lá!

A começar pela apresentação do jogo. Cris Tales oferece gráficos encantadores, desenhados a mão, do tipo que você até se ajeita na cadeira para assistr à abertura vidrado. “A linda arte em 2D feita à mão é animada quadro a quadro para dar vida às possibilidades de ramificação por mais de 20 horas de partida”, conforme descrito pela Modus Games. E confesso que quando li isso, eu fiquei meio que de queixo caído, pois as animações fluem muito bem. Eu não esperava que eles tivessem tido tamanho trabalho. O estilo de arte também é bastante interessante e deveras “bonitinho.” Repito: um jogo encantador.

Agora, quanto à jogabilidade, você pode esperar os mesmos elementos que se encontram num JRPG tradicional: grinding, puzzles, batalhas por turno, subir de níveis e aprender novas habildiades. Mas você se lembra no começo deste artigo que eu mencionei algo de “mecânica muito bem explorada”? Então. Os poderes de Crisbell não se limitam ao mundo aberto e solução de puzzles. Eles são extremamente úteis em combate também! Você pode ativar os cristais do tempo para enviar inimigos para o passado ou para o futuro, assim como retorná-los ao presente, e é aí que o sistema de batalha brilha. O que vou contar agora não é spoiler, relaxe, porque o próprio jogo te ensina isso. Mas na primeira luta de chefe, é impossível causar dano ao inimigo pois as duas cavaleiras têm um escudão enorme que as protege. Bem, nesse momento você estará acompanhado de Cristopher, um cavaleiro aliado, o qual possui uma magia de água. Legal. E água deixa as coisas molhadas, certo? E ferro molhado enferruja com o tempo, ficando frágil, certo? Ceeeeeeerrrto. Bem, é isso mesmo que você pensou. Para vencer esta luta, você precisará atacar o chefe com magia de água para deixá-las ensopadas. Em seguida, com a Crisbell mandá-las para o futuro. Isso fará com que o escudo delas enferruje instantaneamente e diminuindo a defesa delas. Legal, né? 😀

Essa mecânica funciona para diversos aspectos do combate. Um inimigo envenenado, por exemplo, que for mandado para o futuro receberá todo o dano do veneno de uma só vez, em vez de aos poucos turno a turno. É possível também cancelar buffs de inimigos mandando-os para o passado (ou seja, para um tempo antes de terem usado o buff). Mas cuidado também, pois inimigos podem ficar mais fortes quando enviados para o futuro.

Cris Tales está ainda em etapas finais de produção, mas você pode já jogar a demo no Switch, PS4, Xbox One, Stadia ou PC (pela Steam). Embora no Switch não tenha a data de lançamento especificada ainda, o site do jogo diz que o lançamento será em 17 de novembro deste ano.

Alexandre
Alexandre
Existem os cavaleiros da tábula redonda e existe eu, o cavaleiro redondo da tábula. Alguns dizem que sou uma lenda, já outros são pessoas de verdade. Amante de games desde a era 8-bits e quando Português não era opção de idioma.
  • Tradutor
  • Games Reviewer

Artigos Relacionados

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here