quinta-feira, 25, jul, 2024

Review | Shiness: The Lightning Kingdom

Quando misturamos aventura e RPG os resultado podem ser muito peculiares! O jogo talvez até tenha cara de “infantil”, mas em pouco tempo você verá que não é nada disso. Da maneira mais simplista possível você de cara percebe a importância dos personagens do jogo, levando principalmente em consideração o modo que as batalhas se dão.

No prólogo do game e em seu próprio tutorial você se sente jogando um jogo da Nintendo, isso acontece devido as cores, sombras, carisma dos personagens e narrativa cativante.

Shiness: The Lightning Kingdom, começa na Terra, porém, a principio não fica claro o motivo de nossos heróis estarem ali; com mapa amplo a se explorar, o gráfico do jogo é satisfatório e antes de levantar qualquer ponto negativo sobre o game preferi incorporar o enredo e a arte gráfica do jogo e percebi que aqui temos um prato com muito mais aventura do que um RPG propriamente dito.

O Começo

Nossos heróis estão na Terra, porém não fica claro o que eles estão fazendo ali logo de cara, a linha tênue entre a alegria das cores vivas e um mundo que está à beira do colapso fica muito perceptível, um prato cheio para quem gosta de RPG/Aventura com enredo intrigante.

A progressão do game é repleta de humor e alívios cômicos muito bem colocado; os diálogos mesmo que apresentado em forma de quadrinhos, são interativos e através deles iremos conhecer os detalhes e historia de cada personagem.

O jogo ficou bem balanceado, o que te prende a ele e no decorrer do gameplay surgem características que trazem um gostinho de plataforma 3D, isso me fez lembrar de Banjo Kazooie, Super Mario Galaxy, ou o Croc; esse game te leva para a época de ouro do PS1 e Sega Saturn que traziam títulos na mesma pegada.

No inicio as batalhas são simples e não te obrigam a usar muito das Skills dos personagens, mas ao longo do jogo, desviar e usar alguns dos skills irá te fazer economizar tanto nas Health Potions, representadas por frutos, e no seu tempo de gameplay; a galera amante de batalhas por turnos ficará tristes em saber que Shiness passa longe disso. A movimentação dos personagens e a inteligência artificial é muito repetitiva e a falta de variação de golpes e magias começam a dar gastura no meio do jogo. Talvez um sistema como o do Legendo of Legaia, cairia muito bem aqui.

Algo que sinto muita falta são jogos com Puzzles e no Shiness damos de cara com alguns quebra cabeças para resolver, porém, nada que te fará buscar respostas no Youtube ou Google, as resoluções são bem perceptíveis o que torna possível resolver todos eles em pouco tempo. Talvez até seja esse o ponto fraco do game, por não apresentar tanta dificuldade, a exploração é rápida e foi bem simples ter acesso a todo o conteúdo do game, levando em consideração que para chegar ao final do jogo foi rápido, outro fato que levou a isso foi a pequena quantidade de vilões a serem enfrentados, o que em alguns momentos me deu a sensação de que estava faltando alguma coisa, talvez algumas batalhas a mais tivessem feito a diferença.

Conclusão

Shiness: The Lightning Kingdom, trás uma experiência imersiva aos fãs de jogos de plataforma 3D. Chado, o personagem principal da série, é de fato muito cativante e carismático. Pode ser que o jogo precise de mais ação e o mesmo deveria ser um pouco mais difícil. Eles poderiam disponibilizar legendas em português, talvez isso traga uma aceitação maior aqui nas terras tupiniquins.

Um jogo que tem quase 5GB de tamanho, para quem busca uma aventura diferente do que estamos acostumados nesta geração, esse jogo atenderá suas necessidades.

 

Nota: 7.8

Shiness: The Lightning Kingdom está disponível para Xbox One, Playstation 4 e PC.

Guilherme
Guilhermehttp://geeksaw.com.br/
Primeiro Batman antes de Bruce Wayne. Extrovertido e sem graça. Uma mistura de piadas ruins e clichês, e um senso de humor gigante para rir delas. Editor chefe do GeekSaw. Apaixonado pela "Bigscreen" e por tudo que é novidade.

Artigos Relacionados

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here