Review – Plants vs Zombies: Battle for Neighborville (Nintendo Switch)

0
413

Está lá você, todo pimpão, jogando Plant vs Zombies, montando sua melhor estratégia para defender os humanos, quando o pensamento lhe vem à cabeça: “Hmm… Como seria toda essa treta entre plantas e zumbis por uma outra perspectiva?”Plants vs Zombies: Battle for Neighborville pode lhe mostrar isso! Não é apenas um bando plantas lutando contra um bando de zumbis. Em Battle for Neighborville você verá que há toda uma vida por trás dessa história e de cada personagem.

O jogo foi originalmente lançado para PS4, Xbox One e PC, em 2019. E agora, em 2021, a EA e a PopCap trouxeram a edição completa desse jogo, com tudo incluso, para o Switch. E mais: a versão para Switch traz alguns diferenciais diante das outras. Em primeiro plano, para aproveitar a portabilidade do console, você poderá jogar qualquer modo tanto online quanto offline! (Lembrando apenas que, para se jogar online, é necessário uma assinatura da Nintendo Switch Online ativa.) Há também o controle de mira usando sensores de movimento, e a possibilidade de interagir com os menus do jogo por toque da tela. E por este ser a edição completa do jogo, todos os eventos e DLC’s já estão inclusos.

Jogue como planta ou como zumbi. Escolha seu personagem favorito dentre uma grande gama de opçoes, e embarque nessa aventura em Neighborville. Mas dessa vez, não é para você colocar suas plantinhas estrategicamente num tabuleiro e esperar por ondas e mais ondas de zumbis. Plants vs Zombies: Battle for Neighborville traz um combate dinâmico e frenético de tiro em terceira pessoa, misturando elementos cartunescos, bonitinhos e divertidos.

Battle for Neighborville traz uma boa variedade de modos de jogo e customizações para que você não enjoe dele tão rapidamente. E o bom é que você pode jogar qualquer modo tanto online quanto offline, em grupo ou sozinho.

São 23 personagens no total para escolher, entre plantas e zumbis. Cada um com três habilidades diferentes e estilos únicos, tornando-os totalmente individuais. Não somente, cada personagem pode ser evoluído com pontos de experiência e, com isso, subir de patente, para que fiquem mais fortes e liberem novos upgrades. Sim, é isso mesmo! Os personagens têm conjuntosde upgrades que podem ser equipados em até sete slots. Esses variam entre passivas que bonificam atributos do boneco, como regeneração de vida ou velocidade, e buffs para suas habilidades.

Dessa forma, além dos personagens já serem únicos entre si, você ainda pode deixá-los do seu jeito e adaptá-los para o seu estilo de jogo. E com o progresso do jogo, é possível também adquirir acessórios para os bonecos. Você também consegue acumular moedas para comprar mais desses acessórios e novas animações/provocações. Tudo isso para cada – um – dos – 23 – personagens. Só aqui já deu para ver que o jogo pode render bastaaaante, né?

Plants vs Zombies: Battle for Neighborville é como se fossem dois jogos em um. Você terá o modo de aventura (Free-Roam, o jogo chama), onde há dois vastos mapas para explorar repleto de missões e ítens escondidos. E o modo de combate entre times, com os clássicos “empurre o carrinho” e “dominação de territórios”, e eventos semanais. Ambas as modalidades são completas, permitindo que o jogador se divirta como quiser e possa dar uma pausa de um ou do outro eventualmente.

No modo de aventura, você estará em um dos dois mapas disponíveis para andar livremente e explorá-los como quiser. Neles há várias missões a cumprir, dando continuidade a ‘história’. O bom é que não são missões jogadas por aí só “porque sim”. Algumas delas têm até lutas contra chefões e alguns eventos dinâmicos. Além disso, há vários baús e ítens colecionáveis escondidos pelo mapa que lhe darão boas recompensas. E para dar uma mudada também, aumentar o desafio, há bounty hunts em Neighborville. São inimigos poderosos, mais difíceis de derrotar, e que normalmente têm uma condição especial para que se quer sofram algum dano!

Apesar do jogo começar com o time das plantas, você pode trocar de time e personagem quando quiser. Trocando de time, você terá os mesmos dois mapas para explorar, mas pelo lado dos zumbis, com missões e ítens independentes. Dessa forma podemos até dizer que o modo aventura tem “quatro” mapas para explorar. O único porém é que trocar de time, ou até mesmo de personagem, é meio chatinho. Toda vez você terá que voltar ao Lobby (Giddy Park) para poder fazer isso. Por outro lado, mesmo sendo desnecessariamente trabalhoso, não é de todo ruim. No Giddy Park é onde você poderá usar suas moedas para comprar novos acessórios, subir a patente dos bonecos e customizar suas habilidades, participar de alguns minigames, treinar suas habilidades e acessar os modos de combate multiplayer.

E falando do multiplayer, o próprio modo aventura pode ser jogado com um grupo de amigos online. Mas, infelizmente, o recurso de tela dividida para multijogador local não está disponível no Switch. 🙁

As partidas de combate multijogador também têm suas estrelinhas brilhantes. O primeiro ponto – que para mim foi maravilhoso – é que as partidas não são tão longas como em outros jogos do gênero. Em Battle for Neighborville, você não precisa gastar tanto tempo “preso” em uma única partida. Isso é excelente para aqueles com pouca disponibilidade ou sem intenções de se dedicar tanto ao jogo. E mesmo para quem tenha mais tempo disponível ou maior interesse no jogo, isso se torna um grande ponto positivo. Pois, dessa forma, podem desfrutar das variedades do jogo antes de poderem enjoar.

Plants vs Zombies: Battle for Neighborville contém os modos clássicos multiplayer de “empurrar o carrinho” e “captura de bases”. No primeiro, um time atacante dever empurrar uma carreta com armamento até a base do time defensor, que deve fazer o máximo para impedí-los. E no segundo, os times devem capturar pontos estratégicos e mantê-los sob seu controle para acumular pontos, até o total de 100. Além desses, o jogo também tem outras modalidades, como segurar uma base contra ondas e ondas de inimigos, e eventos semanais. Agora, sabe o que é muito legal? 😀 Lá em cima eu falei que o diferencial do jogo para o Switch é poder jogá-lo offline. Então, se você estiver sem conexão com a internet ou não estiver muito confiante para enfrentar outros jogadores, você ainda poderá jogar TODOS esses modos offline, com bots no seu time e no time inimigo. Ótimo para quem não quer passar raiva ou até mesmo praticar.

Mas sabe que, por mais inacreditável que isso possa soar, Battle for Neighborville não dá raiva. Os controles funcionam bem e, apesar da bagunça que as vezes pode ter na tela, isso só adiciona para a adrenalina e divertimento. Temos a variedade de personagens, que são todos divertidos e únicos. Então com certeza você achará pelo menos dois que se identificará e gostará de jogar com. Não só isso, o servidor tem uma estabilidade maravilhosa. Posso ter dado sorte? Talvez. Mas as partidas online fluem muito bem, sem lag algum… Ou pelo menos nenhum que fosse perceptível ou prejudicial.

Agora, quando tratamos dos gráficos, é onde a balança capenga um pouco. É importante lembrar que Plants vs Zombies: Battle for Neighborville foi originalmente lançado há dois anos, para plataformas mais potentes que o Switch. Claro que isso não é desculpa, pois temos algumas portabilidades de cair o queixo. Ainda assim, sabemos que o Switch não é um console super poderoso e, por conta disso, algumas escolhas devem ser feitas quando se faz uma portabilidade para ele. Incrivelmente, a PopCap mostrou que mais jogos da EA podem e devem vir para o Switch.

Apesar de algumas texturas com resolução bem baixa, profundidade de visão reduzida, e ajuste na resolução total do jogo, ele ainda se mantém apresentável. Há vistas bem bonitas e elegantes. São detalhes fáceis de relevar, e que só se tornam mesmo um “problema” se for comparar com as outras versões. Mas não estamos aqui para isso, não é verdade? Além disso, em meio ao tiroteio e habilidades para todo lado, quem é que vai parar para se preocupar com aquele morceguinho parecendo que foi extraído de um jogo do Nintendo 64? Ninguém né… Só eu mesmo, porque eu tenho probleminha.

Bom, parabéns para a PopCap pela portabilidade. Pois o jogo não apresenta nem se quer bugs visuais. Ele ainda está bem feito, só tem aquele aspecto reduzido mesmo.

Plants vs Zombies: Battle for Neighborvillenão é bem o jogão do ano, mas ele se faz uma boa adição à sua biblioteca de jogos. Não traz nada de inovador para o gênero, na verdade é até bem genérico (e os diálogos são totalmente descartáveis). Mas as partidas curtas e dinâmicas, junto da quantidade de conteúdo e o modo de aventura (e claro, o precinho mais camarada), fazem desse jogo até que uma boa alternativa para se divertir por horas.

Nota: 3/5