Crítica | Logan é o melhor filme do universo mutante da Marvel
20.02
2017
Crítica | Logan é o melhor filme do universo mutante da Marvel

Com mais de uma semana para estrear no Brasil, Hugh Jackman está de volta ao papel de maior sucesso do ator. A Fox Film do Brasil tráz o filme para território nacional em 02 de Março de 2017.

 

Sinopse: Num futuro próximo, um cansado Logan (Hugh Jackman) cuida do doente Professor Xavier (Patrick Stewart) escondido na fronteira do México. Mas sua tentativa de ficar isolado do mundo e de seu legado termina quando uma jovem mutante surge, sendo perseguida por forças obscuras.

 

Quando se foi noticiado que um terceiro filme do Carcaju mais barra pesada dos cinemas, seria baseado no universo das Hq’s de “Old Man Logan”, os fãs foram ao delírio, mesmo sabendo que essa não é uma das histórias mais felizes de Wolverine.

Logan é uma história completamente diferente daquilo que estamos habituados com os heróis da Marvel e DC, ele é único mesmo se encaixando na linha do tempo (perdida) dos Mutantes do cinema.

Começamos com Logan (Hugh Jackman) no ano de 2029, onde no mundo, os mutantes são praticamente uma espécie extinta. Logan tenta continuar sua vida trabalhando e deixando para trás tudo aquilo de Wolverine, no qual ele já foi um dia. Ele já está velho e cansado, seus poderes já não funcionam tão bem quanto antes, mas os problemas não deixam de continuar perseguindo esse “Velho Logan”.

Em meio a isso tudo, ele vai em busca de recursos para cuidar de Charles Xavier (Patrick Stewart) que se encontra doente e precisa de o máximo cuidado possível, devido aos seus poderes da mente.

Com direção de James Mangold e roteiro de Michael Green e David James Kelly, Logan apresenta uma história não sobre o herói Wolverine e seus maravilhosos feitos em toda a franquia, e sim no homem que vive com todo o sangue derramado e as consequências do seu passado.

Hugh Jackman volta ao papel fazendo a melhor atuação dele dentro do personagem e consegue passar para o espectador o sentimento de tristeza, de um homem que sobreviveu mas que gostaria de ter partido. É definitivamente o melhor trabalho do ator desde o filme “Os Miseráveis”.

Patrick Stewart também apresenta uma de suas melhores atuações de todas, fazendo um Charles Xavier completamente fora de si, que mesmo perdendo a sanidade, é um dos símbolos de esperança do Logan em sua jornada no filme. Outro destaque importante do filme é para a atuação de Dafne Keen (X-23) que arrebenta em todos os sentidos do filme, sendo ela a mutante perigosa que é e também nos seus momentos de criança. A atuação dela é muito parecida ao começo de Millie Bobby Brown de Stranger Things, porém com um toque animal parecido muito frequente do começo de caminhada de Wolverine.

O que parecia ser um show de corpos e muito sangue rolando devido a sua alta censura,  acaba sendo algo bastante tocante e visceral. Claro que temos bastante cenas de ação bastante violentas onde finalmente vemos o instinto animal de Logan se soltar completamente, mas ao mesmo tempo também vemos a dor do personagem ao fazer tudo aquilo. Ele é bastante reflexivo, onde o personagem sabe que ao realizar toda aquela matança ele está cumprindo o trajeto de seus criadores para ele.

O filme irá arrancar lágrimas de todos os fãs e também daqueles que sentem na pele como é difícil interagir com o mundo quando o seu maior problema é fazer parte de um círculo familiar após tantas perdas e frustrações. E é isso que Logan enfrenta nesse filme, o seu maior medo. O medo de criar vínculos ou fazer parte de uma família.

A produção do filme é aquilo que vimos no trailer, com alguns grandes efeitos especiais, porém com cenas de encher os olhos de qualquer fã de filmes de ação. O filme acerta no tom sombrio que tanto vem se falado em outros filmes de super-heroi e foca muito mais nas atuações do que em suas cenas de ação. Ele consegue passar o sentimento de Logan, em suas ações e todos os seus problemas e também tendo que lidar com uma criança que é muito parecida com ele, até mesmo em seu caráter.

Logan deve realmente ser a despedida de Hugh Jackman do papel, porém ele deixa um imenso legado através de seu último filme, que é definitivamente a obra-prima de Wolverine.

 

Conclusão

Emocionante, repleto de ação e bastante profundo, Logan chega ao cenário de filmes de super-herói com uma pegada diferente, onde o foco não é no herói e sim no homem que vive dentro dele. James Mangold mostra que sabe trabalhar com um drama repleto de ação e o roteiro coloca o filme em outro patamar, onde Hugh Jackman e Patrick Stewart consegue se doar ao papel como nunca antes e faz toda a diferença no filme.

Logan é definitivamente o molde de tom sombrio que queremos ver em todos os filmes deste tipo.

 

Nota: 10

Logan chega aos cinemas em 02 de Março de 2017.

  • Grazieli Maximiano

    Estou com tanta esperança nesse filme. Ele só precisa ser o melhor para valer como o ultimo filme.

  • Sandra Lima

    Este nao perco…..

  • Márcio Martins

    Melhor de todos… aonde que tava esse Wolverine… até que enfim…
    Já assisti 2 vezes kkk … Muito massa

  • Corina Borges

    Concordo em gênero, número e grau! E não posso deixar de citar a trilha sonora, que contribuiu imensamente para que as minhas lágrimas rolassem hahhaha
    Um grande filme, sem dúvida!

Primeiro Batman antes de Bruce Wayne. Extrovertido e sem graça. Uma mistura de piadas ruins e clichês, e um senso de humor gigante para rir delas. Editor chefe do GeekSaw. Apaixonado pela “Bigscreen” e por tudo que é novidade.


GeekSaw • www.geeksaw.com.br
Tema por Gabriela Gomes