Professor e Alunos da SAGA contam suas experiências com a melhor escola de Games de SP
31.03
2018
Professor e Alunos da SAGA contam suas experiências com a melhor escola de Games de SP

O GeekSaw foi convidado pela SAGA para visitar a unidade de Tatuapé e nessa visita conhecemos seus cursos, conversamos com professores com grande experiência na área e conversamos com alunos que tiveram grandes mudanças nas suas vidas, após a iniciação dos cursos.

A SAGA foi fundada em 2002 e é no Brasil a escola pioneira no ensino e desenvolvimento de jogos e referência nacional em cursos de computação gráfica. 16 anos depois, a SAGA conta com 16 unidades e um grande leque de cursos voltados a criação de games.

Em nossa visita a SAGA Tatuapé,  conhecemos um pouco dos cursos PLAYGAME e START.

Para quem gosta de computação gráfica, esse é um curso de iniciação a essa arte, no qual você aprende sobre o mercado publicitário, design, animação, 3D e efeitos visuais de vídeo (VFX). Neste curso,  os alunos aprendem as técnicas com ferramentas de última geração, que são utilizadas em agências e produtoras. O aluno aprende com programas como: ZBrush, Photoshop, Illustrator, Substance Painter, Flash, Premiere, After Effects e Maya. O curso tem duração de 270 horas.

Conversamos com alguns alunos sobre a escola e o que mudou na sua vida após a iniciação do curso e temos essa história bastante interessante ao aluno André, que largou a faculdade federal para embarcar em um dos cursos; Confira abaixo a entrevista na integra:

GeekSaw –  Como você decidiu fazer um curso para á área de games?

André: Após ter passado em uma faculdade federal localizada no Mato Grosso, onde eu cursaria engenharia, fiz uma análise com o meu pai e percebemos que não seria viável ir para outro estado, os gastos não eram o maior problema e sim ficar longe da família. Meu pai deixou claro:  Se for para ter gastos e ter você longe, prefiro algo aqui perto .

Um dia vagando pelas ruas eu passei na frente da SAGA, o logo  brilhou  na entrada da escola. Então algumas questões foram levantadas na minha cabeça e acabei percebendo que a Engenharia era mais uma influencia externa do que minha própria escolha. Fiz alguns cursos voltados para a área de engenharia e com isso cresci ouvindo dos meus pais,  -Você vai ser engenheiro .   -Vai ganhar dinheiro sendo engenheiro, etc…

Mas quando entrei na escola eu fiquei muito satisfeito com o que eu vi e ouvi de imediato, a infraestrutura, as aulas, os laboratórios, e aqui mesmo decidi me matricular. Como já era maior de idade eu me matriculei e adiantei as três primeiras parcelas. Assim que sai da escola eu liguei para os meus pais e disse:   – Me matriculei em um curso, já paguei as três primeiras, agora preciso que vocês paguem o resto (rs) .

Claro que eles não foram mega receptivos, de cara eu ouvi o famoso:  O QUÊ? COMO ASSIM? VOCÊ ESTA LOUCO? .

Claro que após isso expliquei que a engenharia não era a carreira que queria seguir, dei detalhes do curso e é claro que eles me apoiaram.

Já são 2 anos de curso e a experiencia é sensacional, mesmo com algumas exigências do mercado na área de games, e por ser familiarizado com a programação devido aos meus estudos passados, o curso vem sendo bem fácil de aprender. Referente a questão da arte, eu sabia desenhar apenas bonecos de palito, mas com o passar do curso veio cada vez mais me aperfeiçoando nisso.

GeekSaw: –  Você montou um grupo para fazer um jogo, poderia nos contar um pouco sobre ele?

André: Bom diferente do convencional ainda não temos um nome, vamos deixar isso para o final. Estamos trabalhando em um game que ira retratar o folclore brasileiro, iremos fazer um game de terror, então aquele curupira  Maurício de Souza  que as pessoas conhecem, com cabelinho de fogo e uma cara amigável não estará presente, queremos fazer algo assustador, algo bem aterrorizante, queremos trazer uma jogabilidade que não permite ao jogador atacar os seus inimigos, ele terá que fugir, queremos trabalhar muito nessa questão do horror, de sentir medo, ele vai utilizar do cenário para sobreviver, isso existe em alguns jogos como o Inside, Little Nightmares, queremos trabalhar algo nessa pegada.

GeekSaw – Com esse tempo de curso você já tem uma boa base para trabalhar?

André: Agora que estou a quase dois estudando aqui na SAGA, se eu tiver um imprevisto e tiver que parar o curso, o que já foi aprendido até aqui é o suficiente para eu desenvolver o meu jogo. Porém algo muito importante no curso é ter o acompanhamento dos professores, ter alguém ao seu lado para te orientar e sugerir sobre mecânicas entre outras coisas faz total diferença na hora prática.

GeekSaw: –  Você aprendeu a trabalhar em grupo aqui na SAGA, poderia falar um pouco sobre essa experiência ?

André:  Sou um dos mais velhos da minha turma, tenho amigos de classe de 15 anos enquanto eu tenho 21, acabei aprendendo a liderar um pouco, talvez por ser mais velho automaticamente essa posição chegou até mim, porém é crucial sentar com todos e discutir sobre algumas atividades que foram feitas em grupo. As vezes a equipe sai com um trabalho para fazer e trazer um outro dia, ou seja, atividades completamente individuais, porém sempre nos encontramos e debatemos sobre o que foi feito em busca de uma melhoria.

GeekSaw: –  A SAGA da suporte para você fora da aula também?

André: Sim, aqui na SAGA, você pode vir em qualquer horário ou dia, fora do seu horário de aula. Sempre tem alguém para te auxiliar nos laboratórios que ficam disponíveis, pois aqui na SAGA além dos equipamentos em sala, temos laboratórios a disposição de nós. Então você pode fazer tudo aqui mesmo e sempre terá alguém para te apoiar.

GeekSaw: –  Você precisa ter alguma base para mexer nos softwares disponíveis do curso?

André: Não precisa ter uma base para se desenvolver aqui na SAGA, você terá o suporte e ira aprender tudo o que é necessário para fazer algo incrível. É claro que caso você tenha alguma experiência isso ira agregar muito no seu desenvolvimento.

GeekSaw: – Agora vamos falar um pouco sobre o fato de você ser um aluno e agora já trabalha como monitor aqui na própria escola. O que precisa para conseguir isso?

André: Eu estava para sair do curso devido a problemas financeiros, então decide compartilhar destes problemas com os professores aqui na escola. Então eles me sugeriram isso, de me tornar um monitor. Como eles conheciam o meu trabalho e sabiam o quanto eu estava me dedicando ao curso, meus professores me indicaram a isso. Hoje eu tenho um bom desconto devido a este trabalho e quanto mais tempo de monitor eu tiver menos irei pagar de mensalidade.

Além do curso Start, a SAGA também tem o curso chamado Playgame que é focado no desenvolvimento de jogos no geral. A área de desenvolvimento de games é a área que mais cresce no Brasil e no mundo. Existem várias opções no mercado de trabalho que o profissional possa trabalhar como Game Designer, Programador, Designer de Cenário e Personagens, Artista 3D, escultor e animador.

Esse modulo da saga é o com maior carga horária do Brasil, com 480 horas e 24 modulos. Todos voltados a criação de games. Na SAGA de Tatuapé ele encontra os dois cursos, com flexibilidade no horário, estrutura de última geração e conta com professores dedicados. Conversamos com o professor Yoshi, que nos conta toda sua experiência com alunos:

Arthur Yoshi (Professor do curso PLAYGAME) – Eu trabalho aqui na Saga como professor, na parte do curso PlayGame. O PlayGame é um curso de desenvolvimento de jogos, então o aluno vai estar aprendendo tudo do desenvolvimento de game, desde o começo até o fim, ele não precisa ter nenhum conhecimento sobre isso, ele vai do básico de desenho, o básico de formação, o básico de modelagem, o básico de tudo.

GeekSaw – Do início ao fim do curso, o aluno continua com a mesma turma ou ele passa por etapas?

Arthur Yoshi – A turma tem dois professores responsáveis, um de arte e um de 3D, no caso eu sou professor de 3D, no caso, toda a parte de modelagem, a parte de objetos, abertura de UV, programação dentro do jogo, posicionamento de luzes, então, toda parte da modelagem que cabe a modelagem que é o 3D e fazer o jogo dentro da plataforma, eu serei o professor dessa matéria.

Você está há quanto tempo aqui na Saga?

Arthur Yoshi – Como professor, irá fazer 03 anos, mas frequentando a Saga, fará 5-6 anos.

Então você conclui o curso?

Arthur Yoshi – Exatamente, eu comecei o curso em 2012 e com 5 meses de curso, já tinha me tornado monitor estagiário aqui da Saga até terminar o curso, que tem duração de 2 anos, e logo depois eu fiquei um período ocioso, fiquei só no estágio e depois eu consegui a vaga como professor. E estou como professor já faz 3 anos.

Em relação às aulas, como é a evolução dos alunos, a partir do momento que entram e no momento que saem do curso, você já chegou a terminar alguma turma?

Já terminei sim, já iniciei e terminei muitas turmas, normalmente é um choque para o aluno, porque tem muito aluno que ele vem para frequentar, que acha que ele gostar de jogar vai ser a mesma coisa que ele gostar de programar um jogo, mas não, eles levam um choque porque tem muita coisa para você aprender. Como são 02 anos, ele vê desenho, vê modelagem, vê perfil, vê UV, tem muita coisa que você tem que ter conhecimento para conseguir desenvolver um jogo. E normalmente os alunos acabam perdendo essa ilusão de que vai gostar de desenvolver um jogo, na verdade vai ser igual a qualquer outro trabalho, a diferença é que se você realmente gosta disso, você fará com mais compaixão, mais amor, você vai produzir com mais felicidade. E quando eles terminam, eles vão ver se é realmente isso que eles vão querer para a vida deles, então tem muito aluno que eu formei, nós tivemos uma formatura sábado, eu fiz um discurso e eles também fizeram o deles é vão continuar com a carreira, eu tenho um aluno que é engenheiro formado, ele já tem seus 37 anos e quer largar a engenharia para produzir jogos, então tem as pessoas de varias idades e vários pensamentos.

É mais fácil lidar com o pessoal mais novo ou mais velho?

Arthur Yoshi – Mais velho, porque eles entendem o que eles querem para vida deles, normalmente quando a garotada está aqui eles não sabem o que querem, se querem ser médico, advogado, desenvolvedor de games, ainda mais que tem a parte da escola, então alguns alunos acabam na se dedicando tanto pelo fato de estarem no terceiro ano da escola, estudando para o enem,  mas normalmente quando vem um adulto, uma pessoa mais velha, ela geralmente quer fazer por hobby ou trocar de profissão. Muitos dos meus alunos quando finalizam os estudos eles já estão montando estúdios para seguir em frente, eles sonham com o momento de largar engenharia para se dedicar ao estúdio de 3D.

Você já pegou algum projeto que foi para frente?

Arthur Yoshi – Sim, temos um para lançar, eu participei na época que eu era monitor, em um jogo que a SAGA fez, juntamente com os professores, que foi o Freak Silver que foi lançado no Anime Friends no ano de 2013, se não me engano no ano de 2014, faz um tempinho já, tem os outros jogos que fazemos uma competição dentro da Saga, que é o Saga Talent, e tem a categoria game, que é onde os professores de uma unidade fariam um game para competir contra a outra unidade, mas pegar um jogo de dentro de um estúdio para produzir, eu ainda não peguei.

 

Mas teve aluno seu que sai e vai direto para estúdio?

– Sim, tem aluno que se forma e já vai direto para estúdio trabalhar, tem uma turma de quarta e sexta que tinha dois alunos, um deles é o Felipe e outro o Gabriel, ficou famoso uns 6 meses atrás um joguinho, o GTA Brasileiro, não sei se você chegou a ver? Tem uns alunos meus que é desse estúdio, mas agora não sei como está o jogo, mas pelos vídeos que eles tinham mandado, está bem andado. Tem aluno que saiu daqui e virou professor, tem aluno que saiu daqui e agora é professor da Saga também, tem que sempre prestar atenção, na aula sempre esclarecer suas dúvidas, e tem uma particularidade que é empenho e dedicação.

O que aprendemos em nossa visita é que o aluno dedicado tem todas as possibilidades de seguir carreira e ser bem sucedido. Além disso, a SAGA disponibiliza para os melhores a possibilidade de se tornar um Monitor, onde ele ganha desconto na mensalidade. A Bruna que é aluna e agora monitora nos conta mais sobre sua experiência na escola:

GeekSaw: –  Compartilhe da sua experiência aqui na SAGA conosco ?

Aluna Bruna: –  Entrei na escola em Agosto de 2017, a única coisa que sabia é que eu queria trabalhar com games desde pequena, não tinha nenhuma experiência com os softwares nem nada do tipo, porém a SAGA vem me ajudando muito . Eu estou achando que é uma experiência única, e que todo mundo que ama esse universo game deveria fazer o curso. Porque você gostar de um jogo e entender os processos de criação dos jogos sua visão passará a ser completamente diferente.

GeekSaw: – Como você conheceu a Saga?

Aluna Bruna: – Eu conheci a SAGA quando eu tinha uns 15 anos, quando eu no evento de Anime (Anime Friends), porém os anos se passarão e aos meus 22 anos eu queria fazer games e não sabia por onde começar, então comecei a pesquisar sobre as escolas que existiam no Brasil, e depois de muitas pesquisa eu encontrei a SAGA novamente. Entrei em contato, perguntei sobre os cursos, depois de toda a apresentação eu acabei entrando na escola.

GeekSaw: – Você conheceu a escola em 2009, o que mudou de lá para cá que fez você se matricular somente agora na escola?

Aluna Bruna: – Nessas minhas pesquisas, idas e vindas para a SAGA eu vi um trabalho de uma menina, (não lembro o nome dela), ela tinha feito um jogo, um jogo simples, porém estava muito bem feito e tive como ver o passo a passo disso tudo, essa garota conseguiu uma bolsa para estudar fora, então eu decidi, queria ser como ela.

GeekSaw: – Depois deste seu tempo de curso, o que mudou na sua visão?

Aluna Bruna: – Desde o inicio eu sabia que não seria fácil, o mundo dos games é bem complexo, ele passa pela parte de programação, de modelagem 3D, criação dos personagens tem o Maya, tem um universo técnico que precisa de muita dedicação.

GeekSaw: – E isso desanimou você?

Aluna Bruna: – Sinceramente eu senti medo, porque eram muitos processos, muitos programas que eu não tinha conhecimento, mas graças ao apoio da SAGA e a paixão de gostar de aprender e trabalhar com aquilo que gosta e isso deixou de ser um obstáculo. Estou muito feliz com o meu desenvolvimento, porque já passei por muitas barreiras das quais eu achava que não era capaz de superar.

GeekSaw: –  Já esta trabalhando com algum grupo, desenvolvendo algum jogo?

Aluna Bruna: – Sim, já estou com um grupo, às pessoas já estão se dedicando totalmente ao projeto, o jogo já esta em desenvolvimento e foi divida as tarefas para cada um do grupo para ganharmos tempo nesse desenvolvimento. Claro que enfrentamos alguns problemas, mas o foco do grupo no game esta ótimo, e sempre superamos esses pequenos contra tempos.

GeekSaw: –  Os professores estão te dando apoio neste projeto ?

Aluna Bruna: –  Sim temos o suporte dos professores, temos o contato direto com eles, varias vezes que ficamos travados no desenvolvimento do jogo eles nos auxiliaram, as vezes até pedem para dar uma olhada no projeto como um todo para nos ajudar.

GeekSaw: – Qual é o seu objetivo ao terminar o curso ?

Aluna Bruna: – Penso em seguir no desenvolvimento do meu jogo e gostaria muito de sair para outro país e continuar os estudos, existem escolas no exterior que me atendem é isso que eu busco.

GeekSaw: – Se você voltasse no tempo, lá no AnimeFriends de 2009, o que você diria para você mesma ao se ver  paquerando  o Stand da Saga ?

Aluna Bruna: – Eu falaria para não perder tempo, já falaria sobre começar o curso o quanto antes, porém iria me orientar a começar por um módulo mais tranquilo, pois quando somos mais novos não temos muito a visão do futuro e acabamos perdendo um pouco do foco .

GeekSaw: – Como você virou monitora aqui na Saga ?

Aluna Bruna: – Bom enquanto estava em uma das aulas de modelagem, que por sinal eu tinha bastante dificuldade, um dos professores reparou algo que nem eu mesmo tinha percebido. Então ele chegou até a minha pessoa e fez esse convite para ser monitora. Mas eu o questionei afinal, a minha escultura não estava tão boa quanto as dos demais, porém o que ele disse é que não era a minha modelagem que chamava a atenção e sim como eu fazia isso. Após muito tempo de aula e muita dedicação veio melhorando cada vez mais nesse quesito, e hoje estou aqui como um dos monitores (a).

 

Com 13 unidades localizadas em SP e no Brasil, a SAGA coloca o brasileiro no caminho de desenvolvimento de games.

A SAGA de Tatuapé fica localizada na Rua Tuiuti 2026, perto da estação Tatuapé do Metro.

Para mais informações acesse: https://saga.art.br

Primeiro Batman antes de Bruce Wayne. Extrovertido e sem graça. Uma mistura de piadas ruins e clichês, e um senso de humor gigante para rir delas. Editor chefe do GeekSaw. Apaixonado pela “Bigscreen” e por tudo que é novidade.


GeekSaw • www.geeksaw.com.br
Tema por Gabriela Gomes