Análise Lego DC Super Villains Playstation 4
21.10
2019
Análise Lego DC Super Villains Playstation 4

Depois de tantos jogos onde os heróis brilham como estrelas principais a Warner Bros resolveu mudar um pouco e deixou os vilões darem as cartas desta vez e traz o mais novo jogo baseado nas famosas peças de montar “Lego” com o novo título “Lego DC Super Villains”, quem gostou muito da ideia foi Coringa, Lex Luthor e companhia, todos eles se reunirão na Legião do mal para combater um inimigo que ameaçara tanto heróis quanto vilões.

 

A tela inicial conta com uma música cantada, coisa inédita em uma franquia Lego.

 

Vilões “bons”?

 

Colocar vilões como protagonistas ou somente para fazer com que façam alguma ação benfeitora é uma tarefa um tanto quanto difícil se tratando de jogos ou filmes com temas mais adultos, só que estamos em um jogo de Lego, onde tudo é possível, e aqui meu caro, vilões podem sim ser os “heróis do dia”, e tudo com uma pitada muito boa de humor e diversão.

 

Coringa, Arlequina, Lex Luthor, Flash Reverso e quase toda a vasta galeria de vilões da DC está presente e todos eles vão ter um papel importante na trama, claro que o jogo também conta com a participação da Liga da Justiça e outros heróis, porém nada mais serão do que coadjuvantes.

 

Heróis importantes como a Tropa dos Lanternas verdes serão meros coadjuvantes em DC Super Villains.

 

História

 

Nossa história começa com o Comissário Gordon saindo de Gothame indo para Metrópolis para pedir a ajuda de nada mais nada menos que Lex Luthor. O comissário quer que Lex veja um certo arquivo com dados de um vilão desconhecido, ao abrir o arquivo somos levados a tela de criação de personagens e esta é a grande surpresa do jogo, pela primeira vez na história de jogos Lego o personagem principal é criado pelo jogador e será de total importância em toda a trama.

 

A tela de personalização possui uma infinidade de opções para montar seu vilão preferido.

 

A tela de criação possui muitas opções e é fácil gastar muito tempo analisando qual a melhor habilidade ou vestimenta ou cor que ficaria melhor em seu novo vilão mas caso não queira perder muito tempo nesta etapa é possível escolher entre 11 personagens pré-definidos ou mesmo sortear e o jogo embaralha todas as opções e lhe mostra de imediato o resultado obtido.

Uma coisa muito legal é que você pode criar personagens de outras séries com a infinidade de recursos de customização em DC Super Villains, e os resultados são super legais.

 

Figuras conhecidas como Deadpool e Motoqueiro fantasma podem dar o ar da graça, basta você soltar a imaginação.

Quando você cria um personagem novo o jogo automaticamente o reconhece como vilão e também cria uma biografia para cada novo que for incluso, porém uma coisa engraçada acontece quando tentamos criar um herói, o jogo não tem esse raciocínio e cria a biografia de vilão, veja o resultado na imagem abaixo e diga se não é mesmo cômico!

 

Capitão América, o temível Feiticeiro Bibliotecário Azarado, kkkkkkkkkkk!

 

Voltando a história, o Recruta, como é chamado por Lex o nosso vilão se junta a equipe, ele pode aprender qualquer habilidade da mesma forma que o androide Amazo fazia com os heróis apenas os observando, juntos eles fogem da ilha do Stryker.

Após esta introdução e avançando um pouco somos apresentados ao Sindicato do Crime, uma equipe de vilões de uma Terra paralela que é o oposto da Liga da Justiça, eles conseguem prender a Liga em outro lugar e assumem o lugar deles como o Sindicato da justiça, afim de elaborar um plano maior, é ai que entra nossos heróis, digo vilões, eles precisam descobrir o que esse Sindicato falso quer e detê-los, digamos que para recuperar seu status de piores vilões desta Terra, mas será que isto dará certo? Cabe a você descobrir percorrendo as 15 fases disponíveis.

 

O Sindicato da Justiça é formado por Ultraman, Super Woman, Coruja, Anel Energético, Rei dos Mares, Jonny Quick e Grid.

 

Coisas novas e mais do mesmo!

 

Lego DC Super Villains possui o mesmo padrão dos outros jogos da franquia, sua jogabilidade simples não muda a medida que novos títulos são lançados, porém nota-se o capricho que se teve com os personagens, a movimentação de cada um é diferente e cheia de animações como exemplo a Arlequina que anda sobre patins todo o tempo e ainda faz manobras como andar de costas, os combates também estão melhorados, cada vilão possui um padrão único e bem diferente dos jogos anteriores ao qual participaram. Porém o velho “quebre e monte novamente” ainda se faz presente e acredito que isso não irá mudar com novos títulos, um truque que foi adicionado para alguns personagens como Coringa e Exterminador por exemplo é o de juntar capangas, onde ao recruta-los resolvem algum quebra-cabeça ou mesmo servem como escada humana para transpor níveis mais altos.

 

 

Coringa chama seus capangas para o ajudar a causar o terror.

 

Mesmo com algumas mudanças visuais a proposta ainda é a mesma se tratando de jogabilidade, e isso pode ser considerado mais do mesmo em uma franquia Lego, porém quem compra está jogo sabe o que está buscando, lembrando que é um jogo voltado a classe mais jovem e este público não se importa muito em só quebrar peças Lego.

Com certeza a boa história original e a excelente dublagem faça com que jogadores mais velhos queiram se aventurar por este título, muitas das dublagens apresentadas são dos dubladores oficiais dos desenhos da DC.

 

Lex, sua dublagem está ótima e isso merece um premio!!!

 

Além da história principal pode-se percorrer um mundo aberto cheio de missões secundarias, muitas delas só podem ser feitas após um certo avanço no jogo, temos também os colecionáveis que sempre estão presentes, tijolos dourados e vermelhos já fazem parte da característica do jogo, assim como personagens que só podem ser desbloqueados ao se encontrar seus emblemas escondidos pelo mundo aberto, os minikits são coletados pelas fases da história, só que agora em menor quantidade, as novidades ficam por conta da pichação que Coringa, Duas Caras e mais alguns outros podem fazer em pôsteres de heróis espalhados nas fases, e no mundo aberto existem 9 monumentos que podem ser vandalizados (esses vilões são mesmo maus).

 

Duas Caras não é nada legal e detona com o poster do Flash.

 

Outra característica legal de DC Super Villains é que cada novo personagem desbloqueado pode ser minuciosamente analisado, basta entrar no perfil de personagem e você terá aceso a todas as habilidades, pseudônimos e afiliações do personagem em questão, além é claro de um breve resumo sobre sua origem e ano de primeira aparição nos quadrinhos, informações ricas para quem quer conhecer melhor seu personagem favorito.

 

Talvez nunca saberemos a verdadeira origem do Coringa.

 

 Conclusão

 

 Lego DC Super Villains é divertido, tem uma história original muito boa e uma dublagem impecável feita por muitos dos dubladores originais, não apresenta nada novo em termos de jogabilidade pois este é um fato que seu público alvo (a criançada) não se importa muito, com certeza é um ótimo item para a coleção Lego.

Lego DC Super Villains foi lançado em 16 de outubro deste ano e esta disponível para Playstation 4, Xbox One, Nintendo Switch e Pc.

Vilões Unidos!!!

NOTA 7,5

Membro do S.T.A.R.S ao lado de Chris, apaixonado por games desde sempre, extrovertido e amigão da vizinhança, segundo super-soldado conhecido pela humanidade e chamado de Nash, analista de games do Portal GeekSaw.


GeekSaw • www.geeksaw.com.br
Tema por Gabriela Gomes