Review – Streets of Rage 4

0
103

A famosa trilogia de beat’em up que fez um sucesso estrondoso nos anos 90, marcando uma geração de game está de volta. Estamos falando de Streets of Rage ganhou uma quarta parcela na franquia com Streets of Rage 4. Depois de 25 anos de espera por uma nova parcela, os estúdios Dotemu, Guard Crush Games e Lizardcube com aval da Sega trouxeram os favoritos Axel, Blaze e Adam de volta para as ruas para enfrentar os inimigos da nova geração, em parceria com novos membros que são Floyd e Cherry. Munidos de grandes habilidades marciais e um enorme carisma, os velhos e os novos personagens se misturam de uma excelente forma, como se todos estivessem juntos a bastante tempo.

Seleção de Personagem

Nostalgia é o que moveu toda a divulgação deste jogo desde o anúncio da volta da franquia e isso obviamente é uma grande parte deste jogo, manter a essência dos anos 90 em um jogo lançando em 2020, porém, assim que saíram novas imagens sobre o gameplay as coisas começaram a subir de patamar e com o jogo pronto, fica claro que não se trata só de nostalgia, mas sim de um jogo que traz um grande desafio para os velhos e os novos gamers.

 

A jogabilidade simples traz uma sensação de que facilmente você superará os desafios que a história de Streets of Rage propõe, mas conforme vamos “passando de fase” os desafios aumentam e fica claro que se você não combinar os combos dos personagens, você não irá muito longe. Falando sobre os combos, os controles são simples, temos um botão de golpe, salto, coleta (itens), golpe especial (que tira HP) e um botão de inversão de golpe para acertar inimigos nas suas costas. São movimentos simples, mas que combinados conseguem causar um estrago enorme em chefões e em vários inimigos reunidos. É possível também realizar um golpe especial de cada personagem, que causa bastante dano.

Brothers porradeiros

O jogo te dá todas as oportunidades logo de início, fazendo com que a sua evolução parta somente do quanto você conhece o seu personagem e os seus adversários e aos poucos ele vai te deixando em situações nas quais é imprescindível esse tipo de conhecimento.

Com dezessete personagens no total de alguma forma você vai encontrar seu estilo de luta que se encaixa com você, devido à grande variação entre eles. Há personagens rápidos e personagens fortes e também o equilíbrio entre eles, basta testa-los e conhecer suas individualidades para “dar match” naquele combo perfeito para você.

1058 socos na cara

Você definitivamente vai se sentir desafiado no primeiro “fim de jogo” e o jogo te dá possibilidades de progredir lhe dando a opção de reiniciar com mais vida, porém, com menos pontos ganhos.

Adentrar em uma jornada solo é um desafio muito grande e mostra que a cooperação entre jogadores é primordial no andamento do modo história de Streets of Rage 4. O jogo foi feito para o modo cooperativo e a diversão é certa, pois é possível combinar estilos de jogo e combos ainda maiores e existe aquela velha competição para ver quem faz mais pontos.

Se a competição é algo que você almeja e fica coberto de raiva quando seu amigo rouba os seus hits, o modo batalha faz com que todas as suas frustrações com seu “amigo” sejam colocadas a prova em um combate entre players. Ou seja, quem sabe bater mais chora menos nesse modo.

Blaze não pipoca.

 

O grande plano da geração Y

 

Anos se passaram depois da fatídica derrota do Mr. X e tudo parecia realmente mudar nas ruas de Wood Aok City. Porém, uma nova ameaça toma conta das ruas e agora nossos “porradeiros” precisam impedir o plano maligno dos irmãos gêmeos Y, que corrompem a cidade e até mesmo a polícia para controlar a todos. A história é contada através de quadrinhos cheios de vida e dignos de uma grande história de ação.

Reencontrar velhos inimigos definitivamente vai te fazer lembrar dos tempos antigos, quando jogávamos em cooperativo com amigos e familiares. Mas como em definição desse jogo, nostalgia não é o suficiente e os desenvolvedores deram uma repaginada importante para antigos inimigos como o espaçoso “Big Ben”, o coletor de itens Donovan e muitos outros. Com uma gama de lutadores de diferentes estilos, malandros de rua, policiais e malucos com golpes com a cabeça, o jogo apresenta muitos desafios.

 

A União de Titãs da indústria

Yuzo Koshiro e Yoko Shimomura criam uma aliança com Keiji Yamagishi e Harumi Fujita para a produção da trilha sonora de Streets of Rage 4. Essa é sem dúvidas uma colaboração de sucesso entre esses titãs e que traz uma trilha sonora que remete ao passado, mas que seja única, dando uma beleza e originalidade a essa parcela da franquia. Além disso, todas as faixas da trilogia clássica estão no jogo, para habilitá-la, você vai nas “opções” e seleciona “Trilha Sonora Retro”. Honrar o legado e se abrir para o futuro é o que define bem Streets of Rage 4.

Limpando a concorrência.

Sem sombra de dúvida Streets of Rage 4 é o melhor beat’em up em toda a sua história e dá um frescor para esse gênero que havia sumido das desenvolvedoras. É um jogo completo e traz desafios e diversão garantida. É um jogo necessário para os fãs dos anos 90 e uma saída para novos jogadores que estavam em busca de uma experiência muito mais recompensadora.

 

Nota: 5/5