SAGA dá dicas para quem quer trabalhar com games contando histórias

0
159

Um dos aspectos mais importantes em um game de sucesso é o storytelling, ou seja, a capacidade de contar uma história. Por mais que os recursos gráficos e a jogabilidade tenham destaque inquestionável em qualquer jogo eletrônico, a experiência do usuário em relação à narrativa é a alma de tudo, e sem uma história envolvente, que prenda a atenção do jogador, a imersão do usuário no game já começa prejudicada.

Criar uma história convincente, entretanto, não é nada fácil. É preciso ter criatividade e conhecimento sobre o assunto, levar em consideração muitos critérios e estar sempre atento. Para auxiliar quem planeja trabalhar com storytelling na indústria dos games, Igor La Luz, gerente acadêmico nacional da SAGA, maior rede de escolas de games e arte digital, separou três dicas essenciais para ter sucesso na profissão.

“Não basta só ter uma ideia, é preciso saber como expressá-la para impactar o jogador. Existem diversas estratégias poderosas para encantar os gamers, desde personagens, cenários e enredo, e contar bem a história certamente é uma delas”, explica Igor. “O storytelling nos games gera identificação com o jogador que se coloca no lugar do personagem, motiva o usuário a evoluir na sua jornada, atrai, seduz e mantém um público fiel”.

• Buscar referências

Na época dos 8 e 16 bits, por exemplo, já havia storytelling. Se voltarmos para o lançamento de Space Invaders, em 1978, por exemplo, identificaremos o enredo que envolve os alienígenas e a necessidade do jogador salvar o planeta dos invasores. Que tal a história de dois encanadores lutando contra as dificuldades da vida nas tubulações de Nova York? Mario Bros! É fundamenta buscar referências de storytelling nos games para desenvolver suas próprias narrativas. Toda criação é baseada em um conjunto de elementos que, juntos, dão sentido a ela. Pesquisar, conhecer e experimentar são passos básicos e essenciais.

• Definir as características principais da história

O game deve deixar clara a sua essência e as características principais da trama precisam ser facilmente notadas. Do contrário, o usuário pode não se identificar, não se encantar e não entrar de cabeça na jornada. Um jogo eletrônico pode receber influências de inúmeras fontes, desde que seja capaz de manifestá-las claramente.

• Investir na criatividade

O combo perfeito para criar um enredo atrativo tem referências e criatividade. Para quem gosta do desafio constante de criar cenários, histórias, personagens e contextos, aliados a uma boa plataforma de jogabilidade, a criatividade não será um problema, mas é preciso considerar frequentemente o seu impacto e fugir das fórmulas prontas e pouco originais.

“O storytelling nos games desempenha um papel fundamental na hora de construir a identidade do jogo e atrair o público. A partir do momento em que você já tem a definição de quem consumirá o material, busque por melhorias constantes, qualificando a história com o passar do tempo, amparado, inclusive, no feedback dos usuários”, finaliza Igor.

Mais informações sobre a SAGA e seus cursos estão disponíveis em o site.